quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Previsões para 2010

Hoje irei escrever a última mensagem de 2009. Para isso, nada melhor do expor de seguida os cenários que me parecem mais prováveis para 2010:

  • O ano de 2010 deverá ser bem pior do que 2009 mas menos tenebroso do que 2008;
  • Ainda assim, os mercados accionistas deverão corrigir significativamente, não sendo de excluir novos mínimos, principalmente nos mercados Europeus;
  • Os mercados emergentes deverão corrigir ainda mais do que os mercados desenvolvidos pois são mais voláteis;
  • O Dólar Americano (USD) será o grande vencedor de 2010 pois as expectativas altamente inflacionistas não se irão naturalmente concretizar (ver "FERIAS");
  • Todo o sector de matérias primas e metais preciosos irá também sofrer com isso pois é um sector lagger e deverá entrar na pior fase da sua correcção (WC);
  • Não sendo a minha especialidade, as obrigações do Tesouro Americanas e Alemãs com maturidades mais longas deverão também sair vencedoras em 2010.

O último gráfico do Chart Of The Day realça o facto de 2010  - um ano intercalar relativamente às eleições Presidenciais dos EUA - ter, em média, uma performance fraca e poder até ser um ano agitado (em perfeita sintonia com as minhas previsões):



Dax Speculator vai finalmente de férias para um destino mais frio (Bélgica) onde espera encontrar paisagens inesquecíveis, tais como esta (da autoria de CatherineD):




Votos de um bom Natal e um excelente 2010,

Dax Speculator

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O jogo das revisões em baixa

Ficamos há pouco a "saber" que o PIB Americano, no 3º trimestre, não cresceu 3.5% (a 1ª estimativa) nem 2.8% (a 2ª estimativa) mas sim talvez apenas 2.2% (a 3ª e actual estimativa). E isso continua a ser uma previsão, apesar de mais realista.

E é assim que os gabinetes de estatísticas estatais manipulam as expectativas económicas pois, após sucessivas revisões em baixa, quando soubermos o número real - que deverá andar perto dos 2% - já a atenção estará focada no PIB do 4º trimestre...

Mas este é apenas um dos truques pois consta-te (*) que nem todos os componentes importados têm sido contabilizados como tal pelo gabinete de estatísticas Americano (BEA) e, por isso, o PIB poderá estar a ser inflacionado (as importações retiram valor ao PIB). Resta saber qual a dimensão destes "enganos"...

(*) - Procurarei saber mais sobre este assunto.

Cumprimentos,

Dax Speculator

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Jeremy Grantham: obama previsivelmente irracional

Saiu recentemente um artigo de opinião de Paul Farrel no site MarketWatch descrevendo as 14 razões porque o amor de Obama a Wall Street irá desencadear a Grande Depressão 2. De todas elas considero as seguintes autênticas pérolas:

2. Recondução de Bernanke, um erro totalmente irracional

"O mais apaixonado das loucuras de Greenspan ... completamente à nora". Um erro crasso "como a recondução do capitão do Titanic" e "uma oportunidade perdida."

3. Summers, Geithner: os últimos Cavalos de Tróia de Wall Street

Larry Summers "não tocou apitos de aviso do perigo iminente em 2006 e 2007." Anteriormente, como secretário do Tesouro, quis "rechaçar as tentativas de regular" derivados. Tim Geithner, como Czar da Fed de Nova York, "sentou-se na sala de máquinas do porta-aviões "USS Disaster" e ajudou a conduzi-lo para as rochas". Ainda assim um Obama irracional nomeou-o e Wall Street aplaudiu.

4. Idiotas, irracionais, os credores hipotecários gananciosos

"Quanto mais equivocados ou imprudentes os mutuários, mais determinados os esforços para ajudá-los", embora "esses esforços tivessem um efeito limitado." Políticas de curto prazo, má economia.

5. Descuidados, irracionais e estúpidos construtores

Eles "sobre-construiram magnificamente" durante anos. "Ainda assim o nosso irracional presidente estimulou ainda mais". Construíram-se ainda mais casas, dando aos novos compradores de casa 8.000$ a cada um."

Para quem quiser ler o artigo na íntegra em Inglês pode fazê-lo aqui...

Um bom fim-de-semana,

Dax Speculator

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

ARMS index ultrapassa maximo de 2007

Reparei agora mesmo que o Arms Index (TRIN) ultrapassou em Novembro passado o máximo que tinha sido alcançado em Dezembro de 2007. Eis o gráfico (cortesia da StockCharts):


O TRIN é calculado pela seguinte fórmula:

(n.º acções a subir / n.º acções a descer) / (volume das subidas / volume das quedas)

Resumidamente, um TRIN bem acima de 1 é bearish, perto de 1 é neutro e bem abaixo de 1 é bullish. No fundo não estou surpreendido pois isso confirma as minhas expectativas de novos mínimos em 2010 para o S&P 500 e os a maioria dos índices em geral.

Cumprimentos,

Dax Speculator

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Mais um diamante no VIX

Desde o início do mês o VIX tem vindo a desenhar também ele um diamante (ver "DIAMANTE NO S&P 500" e "MAIS UM DIAMANTE NO S&P 500").

Como já tive oportunidade de referir, este padrão promete muita, mas mesmo muita volatilidade nos próximos tempos. Eis o gráfico sem mais rodeios (cortesia da BigCharts):



A ser quebrado em alta, o que acontece em 69% dos casos, o objectivo mínimo serão os 31 mas tenho a sensação que irá muito mais acima...

Um bom fim-de-semana,

Dax Speculator

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

MEREDITH WHITNEY: THERE IS JUST NO PLACE TO HIDE

Visto que esta semana será mais curta, irei destacar as melhores opiniões, análises ou entrevistas. Para hoje, quero partilhar mais uma excelente entrevista de Meredith Whitney na CNBC:





Votos de uma boa semana,

Dax Speculator

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

PONTAPE PARA A FRENTE PARA 113% DO PIB

Saiu hoje no Diário de Notícias uma notícia que contabiliza, para este ano, um aumento da dívida pública, incluindo as empresas estatais, de 28 mil milhões de Euros face a 2008 para 182,6 mil milhões de euros ou 113% do PIB.

Estes números são muito piores do que eu pensava pois os dados de que eu dispunha, acessíveis através da página da OCDE, incluíam apenas dívida directa do estado (sem as empresas estatais) e cifravam-se numa dívida pública de 71.3% do PIB, isto para 2008 (ver "QUEM TER MAIS DORES DE CABEÇA?").

De qualquer forma não estamos aqui a falar de uns "tremoços" mas sim de um brutal aumento anual de 18% de toda a dívida pública! Assim, a nossa bola de neve parece estar a ficar cada vez mais descontrolada (ver "PORQUE AINDA NAO BATEMOS NO FUNDO") e nós, Portugueses, ao contrário do Dubai nem petróleo temos...

Um bom fim-de-semana,

Dax Speculator

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

MAIS UM DIAMANTE NO S&P 500

Tenho notado muito nervosismo nos mercados nos últimos dias. Há que ter muita atenção pois tudo me leva a crer que vem aí muita volatilidade...

Um dos motivos que me leva a especular sobre um aumento da volatilidade é o aparecimento de mais um diamante - já tivemos um na semana passada (ver "DIAMANTE NO S&P 500") - no gráfico de 30 minutos do contrato de futuros sobre o S&P 500. Eis o gráfico (cortesia da FutureSource):



O breakout acontecerá na quebra definitiva (já houve uma tentativa de quebra em alta mas falhou) em baixa dos 1104.5 ou em alta dos 1115. Como foi dito na semana passada, as probabilidades favorecem uma quebra em baixa pois é isso que acontece em 69% dos casos.

Resumindo e concluindo, uma quebra em baixa dos 1104.5 terá como objectivo mínimo os 1096.5; uma quebra em alta dos 1115 deverá puxar o S&P 500 até aos 1122.25.

Cumprimentos,

Dax Speculator 

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

The Meadow

Eis aquela que considero ser a música mais bonita do novo filme "New Moon" da Saga "Twilight", o tema "The Meadow" de Alexandre Desplat:




Um bom fim-de-semana,

Dax Speculator

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

DUBAI DA O MOTE

Três dias depois da minha mensagem sobre a insustentabilidade da crescente dívida governamental (ver "QUEM TERA MAIS DORES DE CABEÇA?"), ficamos hoje a saber que o Dubai está stress financeiro pois não irá conseguir pagar uma dívida de 3.5 mil milhões de dólares que vence no próximo mês. Não falei no Dubai pois este não faz parte da OCDE. O Dubai é um estado dos Emirados Árabes Unidos e, por isso, não existem muitos dados sobre este estado.

Mas fui investigar e estima-se que as autoridades (estatais e locais) do Dubai tenham uma dívida entre 80 e 160 (*) mil milhões de dólares para um PIB reportado em 2008 de uns 50 mil milhões de dólares. Ora, isso dá um rácio de dívida relativamente ao PIB entre 160% e 320%!, um número surreal para qualquer economia mas ainda mais para uma "economia" que assenta apenas em 3 pilares:

  • Turismo;
  • Imobiliário;
  • Serviços Financeiros.

    No fundo todos sabiam que o Dubai era mais uma bolha imobiliária mas a maioria pensava que não iria rebentar já. Só que rebentou (os preços do imobiliário já desceram 50%) e agora os incautos que se cuidem...

    (*) - No fundo ninguém sabe ;-)

    Cumprimentos,

    Dax Speculator

    DIAMANTE NO S&P 500

    No gráfico de 30 minutos do contrato de futuros sobre o S&P 500 está formado um diamante cujo breakout está para breve. Como é sabido, este padrão promete muita volatilidade. Eis o gráfico (cortesia da FutureSource):



    O breakout acontecerá na quebra em baixa dos 1103.5 ou em alta dos 1111.4. No entanto as probabilidades favorecem uma quebra em baixa pois este padrão quebra em baixa 69% das vezes e em alta os restantes 31%. Confirmando-se a quebra em baixa o objectivo mínimo será os 1097.5 mas, caso contrário, o objectivo mínimo será os 1116.9.

    Actualização: enquanto escrevia deu-se a previsível quebra em baixa.

    Cumprimentos,

    Dax Speculator 

    quarta-feira, 25 de novembro de 2009

    Meredith Whitney na CNBC

    Meredith Whitney cedeu uma entrevista à CNBC no dia 16 de Novembro à qual me parece valer a pena prestar atenção pois vale sempre a pena ver e ouvir uma analista (sem aspas ;-) que sabe bem o que diz e porque o diz:





    Resumidamente, eis o que Meredith Whitney tem a dizer sobre os mercados, a FED e os bancos em particular:
    • "Como é que a FED irá sair do seu programa de compra de MBS (Mortgage Backed Securities) que compõem 1/3 do seu balancete?"; 
    • "Desde há um ano que não estava tão bearish";
    • "Reduzam a vossa exposição aos grandes bancos";
    • "O dinheiro que continua de lado não vai apoiar essa classe de activos (MBS)";
    • "Sim, espero uma recessão em "double-dip" (em W)".

    Cumprimentos,

    Dax Speculator

    segunda-feira, 23 de novembro de 2009

    QUEM TERA MAIS DORES DE CABEÇA?

    Tal como na saga "Twilight", cujo 2º filme "Lua Nova" deverá estrear em breve, a saga "QUEM TERA MAIORES DIFICULDADES?" continua, não com instituições financeiras como protagonistas, mas agora com estados soberanos a entrarem em acção.

    Os países que, ao tentarem imprimirem o seu caminho para a prosperidade, agravaram ainda mais o seu rácio de dívida realtivamente ao PIB foram a Hungria e a Bélgica. No topo da lista dos estados cuja dívida pública começa a dar uma valentes dores de cabeça estão o Japão, a Grécia e a Itália.

    Na minha opinião, a representar o maior risco para os mercados financeiros está o Japão com um debt-to-gdp-ratio (rácio de dívida em relação ao PIB) a aproximar-se perigosamente dos 200% (ver esta notícia na Bloomberg pois os dados do Japão relativamente a 2008 não estão disponíveis vá se lá saber porquê...). A seguir aparece a Grécia e a Itália com rácios de, respectivamente, 105% e 95%. Curiosamente [ou não], Portugal está em 5º lugar com um debt-to-gdp de 71%! Eis os dados da OCDE relativos a 2008 (ainda não há dados relativamente a 2009 pois o ano ainda não acabou):




    Votos de uma excelente semana,

    Dax Speculator

    sexta-feira, 20 de novembro de 2009

    WARREN BUFFETT ENSINA ANIMANDO

    Para o fim de semana escolhi partilhar este excelente vídeo com Warren Buffett a ensinar de uma forma simples e divertida porque os EUA - e a Europa também - não podem continuar a importar mais do que exportam, ou seja, a gastar mais do que ganham por muito mais tempo:





    Um bom fim-de-semana,

    Dax Speculator

    EDP NO CANAL MAS...

    Desde a minha última análise técnica à EDP (ver "EDP"), em Dezembro 2008, em que referi a existência de:
    1. Um canal descendente entre os 2.2€ e 3.3€;
    2. Um diamante cujo objectivo, em caso de quebra em alta, seriam os 3.5€.
    Pois bem, a leitura técnica que faço actualmente é que o objectivo técnico do diamante não foi totalmente cumprido porque existe uma LT (Linha de Tendência) descendente - que vai descendendo semana após semana - que não deixa a EDP progredir acima dos 3.15€. Eis o gráfico semanal (cortesia do BigCharts):





    Para além disso e desde o passado mês de Junho, a eléctrica nacional tem vindo a ser suportada por um pequeno canal ascendente cuja previsível (*) quebra a projectará sensivelmente 10% abaixo da base do canal (actualmente nos 3.01€), ou seja, aproximadamente aos 2.7€:




    Sendo assim, a minha recomendação é claramente de venda pois não vislumbro espaço para mais subidas mas observo muito mais espaço para descidas, inclusive abaixo do mínimo de Outubro 2008...

    (*) - Previsível por todos os motivos invocados ao longo dos últimos meses.

    Um  bom fim-de-semana,

    Dax Speculator

    quarta-feira, 18 de novembro de 2009

    Novas construções sucubem

    Os dados divulgados às 13h30 GMT revelam que os "housing starts" (novas construções) e os "building permits" (licenças de construção) caíram relativamente ao mês anterior, respectivamente, 10.6% para 529K - o nível mais baixo desde Abril - e 4% para 552K. Estes dados são uma autêntica facada na teoria da recuperação em V, defendida pelos suspeitos do costume (ver por exemplo "BIBA O B!").

    Os dados macro-económicos conhecidos nos próximos meses darão certamente razão àqueles (ver "JOSEPH STIGLITZ JUNTA-SE AO CLUBE") que detêm os factos correctos e que raciocinam friamente e com estes. Estou obviamente a falar de Warren Buffett, Nouriel Roubini, George Soros, Joseph Stiglitz, Dax Speculator ;-) e também John Mauldin que me esqueci de referir. John é autor de uma newsletter enviada gratuitamente por e-mail (que leio sempre todas as semanas) que pode ser subscrita aqui. John foi um dos que previu esta crise pelo que recomendo vivamente a subscrição da sua newsletter.

    Viva o B!

    Dax Speculator

    terça-feira, 17 de novembro de 2009

    3 PEROLAS DE WARREN BUFFETT

    Hoje seleccionei 3 citações de Warren Buffett que se aplicam na perfeição ao actual momento dos mercados e que, por isso, as considero autênticas pérolas:


    1. Managers thinking about accounting issues should never forget one of Abraham Lincoln’s favorite riddles: "How many legs does a dog have if you call his tail a leg?" The answer: "Four, because calling a tail a leg does not make it a leg";
    2. You’re neither right nor wrong because other people agree with you. You’re right because your facts are right and your reasoning is right—and that’s the only thing that makes you right. And if your facts and reasoning are right, you don’t have to worry about anybody else.
    3. It’s only when the tide goes out that you learn who’s been swimming naked.

    Traduzindo:

    1. Administradores que pensam demasiado em questões contabilísticas nunca deveriam esquecer um dos enigmas favoritos de Abraham Lincoln: "Quantas pernas tem um cão se chamarmos perna ao rabo?" A resposta: "Quatro, porque chamar perna ao rabo não o torna uma perna";
    2. Não estás nem certo nem errado só porque os outros concordam contigo. Está certo porque os teus factos e o teu raciocínio estão certos e é apenas isso que faz com que estejas certo. E se os teus factos e raciocínio estão certos, não precisas de te preocupar com mais ninguém;
    3. Só sabes quem está nu quando a maré desce.

    Boa tarde,

    Dax Speculator

    sexta-feira, 13 de novembro de 2009

    CONVERSA 100 - ACÇAO 0

    Passado mais de 1 ano após o início da crise financeira, da falência do Bear Sterns e Lehman Brothers e de todos os eventos por estes causados, a conclusão a que eu chego é que, até à data, AINDA NADA foi feito para que este tipo de crises, sobretudo com esta intensidade, não se repita.

    Exemplificando, eis a maioria das medidas muito faladas mas AINDA TODAS por concretizar:
    1. Acabar de vez com o "moral hazard";
    2. Dividir as instituições financeiras "too-big-to-fail" em instituições mais pequenas seguindo, por exemplo, a preciosa sugestão de Paul Volcker (antigo chairman da FED) neste vídeo que aconselha os legisladores a separar as instituições pelas suas diferentes actividades:
    • Comerciais (créditos, depósitos, cartões, etc...);
    • Não-comerciais (trading, gestão e comercialização de fundos, etc..).
    1. Limitar os prémios dos administradores de topo e procurar que estes sejam dependentes de performances de longo prazo e não de curto prazo;
    2. Colocar os CDS (Credit Default Swaps) numa bolsa regulada.

    E acrescento mais algumas:
    1. Deixar o mercado funcionar e não cair constantemente na tentação de colocar para-quedas nas recessões;
    2. Proibir os grotescos conflitos de interesses em Wall Street tais como:
    • Administradores de instituições financeiras passarem a cargos políticos ou vice-versa;
    • Agências de rating darem a sua opinião sobre produtos dos seus clientes;
    • Instituições financeiras terem participações maioritárias em empresas de media da especialidade.

      Concluindo, se nenhuma destas medidas for implementada estamos DE CERTEZA, a longo prazo, a caminhar a passos largos para uma crise muito pior do que esta.

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      terça-feira, 10 de novembro de 2009

      FIM DO SHORT COVERING?

      Na minha penúltima mensagem (ver "POSSIVEL SHORT COVERING") especulei sobre a possibilidade de estar em marcha um "short covering". Tal aconteceu! Estamos agora novamente perto dos máximos de Outubro e tudo parece perfeito. No entanto, desenganem-se os mais optimistas pois este movimento de subida rápida e tresloucada é mesmo característico dos "short squeezes" (outro nome para o "short covering").

      Escusado será dizer que, depois do "short coverings", nada mais resta para o mercado que não continuar o seu movimento de correcção. Penso que é isso que irá acontecer em breve. Por isso, parece-me apropriado chamar aquelas divisões que descansam no quartel pois agora é altura de começarmos a empurrar o inimigo para trás, bem lá para trás...

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 6 de novembro de 2009

      DIAMANTE NO JPMORGAN?

      Hoje reparei na possibilidade do JPMorgan Chase Co (JPM) estar a formar um topo em diamante. Este é um padrão que aprecio bastante pois promete muita volatilidade, o que é bom para quem especula em opções. Mas é um padrão muito difícil de identificar e negociar. Vamos ao gráfico (cortesia do BigCharts):



      Como se pode ver, à excepção de um spike na 2ª semana de Outubro, o volume decresce ao longo do padrão, como manda a regra. Se o JPM quebrar em baixa os 42 USD, o objectivo mínimo deste diamante serão os 35.26 USD, relativamente perto da projecção de 76.4% de Fibonacci, nos 36.26 USD.

      Falando agora de "green shoots", tal como referi em "DESEMPREGO DESMENTE RECUPERAÇÃO", a taxa de desemprego dos EUA conhecida às 13h30 já subiu para 10.2% pois em Outubro não desapareceram "misteriosamente" 571,000 trabalhadores como no mês de Setembro...

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      terça-feira, 3 de novembro de 2009

      POSSIVEL SHORT COVERING

      Não costumo falar muito do curto prazo mas hoje irei abrir uma excepção. Parece-me que poderá estar em marcha um "short covering" (*) provavelmente alimentado pelo desfecho da reunião da FOMC (Federal Open Market Committee) sobre política monetária, amanhã às 19h15 GMT.

      Lembrem-se que o Sr. Mercado é matreiro: procura enganar tudo e todos, curtos e longos. Por isso, aproveitem a minha sugestão e deixem algumas divisões descansar e desfrutar desta pequena vitória alcançada nas últimas semanas. Este "short covering" será um dos últimos, senão o último avanço do inimigo...

      (*) - Um "short covering" consiste no fecho de posições curtas (vendidas) e obriga os detentores destas posições a comprarem os activos subjacentes, o que origina uma subida destes activos.

      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 30 de outubro de 2009

      RECUPERAÇAO EMPACOTADA

      Depois dos "surpreendentes" dados preliminares do PIB Americano do 3º trimestre ontem, saíram hoje os dados relativos aos rendimentos e gastos relativamente ao mês de Setembro.

      Mas vamos 1º analisar os dados de ontem, relativos ao PIB (cortesia do Briefing):
      • O programa "Cash for Clunkers" contribuiu com 1.01 pontos percentuais do total de 2.36 pontos percentuais que o consumo pessoal adicionou ao PIB;
      • O programa fiscal "First-time homebuyers" beneficiou não só as empresas de construção - que viram finalmente o fim da queda na construção de novas casas - mas também as imobiliárias através de aumentos nos seus rendimentos/comissões. Só esses aumentos nos rendimentos/comissões foram responsáveis por 1/3 do aumento da componente de investimento residencial.
      Ou seja, os créditos para este PIB do 3º trimestre vão maioritariamente paro o governo de Barack Obama e os seus pacotes de estímulo, financiados por mais dívida.

      No entanto, tal como o álcool nunca foi solução para o alcoolismo, mais dívida nunca será solução para um país grosseiramente endividado. Por isso, o governo terá eventualmente percebido isso e está agora a descontinuar os programas de estímulo, o que deverá arrefecer bastante este PIB altamente governamentalizado. Alias, os dados hoje conhecidos sobre o rendimento (+0%) e o consumo (-0.5%) relativamente ao mês de Setembro confirmam esse mais do que provável arrefecimento...

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 29 de outubro de 2009

      DUPLO TOPO NO UBS

      Da última vez que falei no UBS (ver "MAIS BAILOUTS") foi a propósito do "bailout" do Wachovia e do Fortis. Nessa altura publiquei uma lista actualizada dos bancos que teriam maiores dificuldades em ultrapassar esta crise sem ajuda governamental. Pois bem, aproveito para actualizar novamente esta lista e fazer um resumo dos desenvolvimentos, até à data, em cada instituição:


      - UBS (LTDE=833) -> Bailout (estado Suiço entra no capital)
      - ING (LTDE=817) -> Bailout (estados Holandês entra no capital)
      - Merrill Lynch (LTDE=793) -> Bailout (comprada pelo Bank Of America)
      - Morgan Stanley (LTDE=611) -> Retorno à banca comercial
      - Lehman Brothers (LTDE=488) -> Falido (o Bear Sterns também constava da minha lista original)
      - Goldman Sachs (LTDE=464) -> Retorno à banca comercial
      - Credit Suisse AG (LTDE=435) -> Para já tem conseguido sobreviver bem à crise

      - Deutsche Bank (LTDE=393) -> Para já tem conseguido sobreviver bem à crise
      - Fortis NV (LTDE=52) -> Bailout Bailout (estados Françês, Holandês e Belga entram no capital)
      - Citigroup Inc (LTDE=269) -> Bailout (estado Americano entra no capital)
      - Wachovia Corp (LTDE=245) -> Bailout (comprado pelo Wells Fargo)
      - AIG Inc (LTDE=213) -> Bailout
      (estado Americano entra em mais de 90% do capital)
      - Allianz SE (LTDE=62)  -> Para já tem conseguido sobreviver bem à crise
      - American Express (LTDE=1) -> Para já tem conseguido sobreviver bem à crise

      Vamos agora ao UBS. Reparei ontem que estamos provavelmente perante um duplo topo entre os 19.18 e 16.9 USD (estou a analizar o ADR cotado na NYSE). Se o padrão for activado com uma quebra em baixa dos 16.9 USD, o objectivo serão os 14.62USD. Eis o gráfico (cortesia do StockCharts):



      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      terça-feira, 27 de outubro de 2009

      BIBA O B!

      Viva o vrrooom, é assim que um "especialista" que escreve para a Forbes descreve o actual momento. E justifica-se com o seguinte:

      "big bear markets are almost always followed by big bull markets in a V-shape pattern. The steeper the descent, the steeper the ascent."

      Ou em Português:

      "grandes ciclos de queda nos mercados são quase sempre são seguidos por grandes ciclos de subidas em  forma de V. Quanto mais íngreme for a descida, mais íngreme será a subida."

      Mas sr. Fisher, e se estamos numa daquelas alturas em que o "quase sempre" não funciona? Por acaso estudou algum dos anteriores bear markets ou, pelo menos, o último (1968-1974)?? Ou também sofre de conflitite de interessite???

      Partindo do princípio que se sabe alguma coisa de bear markets, eis 1 facto inabalável apenas sobre o último bear market, que durou de 1966 a 1974: na 2ª fase desse período, o S&P 500 foi dos 120 aos 62 em apenas 2 anos mas demorou 6 anos a voltar aos 120, o que viria a acontecer apenas em 1980. Ou seja, o V não foi assim tão certinho. E, já agora, vou lhe dar uma dica: estude os outros...

      Mas há mais. A melhor parte vem aí! É que o "especialista" continua com o seguinte:

      "Most investors give too much credence to the theory that prices are rational; they presume that a market collapse must have been justified by serious economic trouble."

      Ou em Português:

      "A maioria dos investidores dão demasiado crédito à teoria dos mercados racionais; eles presumem que um colapso do mercado deve ter sido justificado por problemas económicos graves."

      Não que eu defenda a teoria dos mercados racionais mas, ao ler esta pérola presume-se que, na opinião do homem, os mercados foram totalmente irracionais, as quedas foram largamente injustificadas pois a economia está mesmo em grande forma...

      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 23 de outubro de 2009

      S&P 500 ABAIXO DOS 700?

      Da última vez que fiz uma previsão sobre a evolução do S&P 500, em Novembro 2008, considerei como próximo objectivo do S&P 500 os 1100 (ver  "S&P 500 NOS 1100?").Pois o índice bolsista mais representativo da economia Americana fez esta semana (para já) um máximo de 1095...

      Só que a partir daqui, desculpem-me os jornalistas, analistas e afins, sou da opinião que falta mais qualquer coisa para completar esta WC e este bear market: a W5 (impulsiva) cujo objectivo se situará provavelmente abaixo dos 700 (gráfico da cortesia do BigCharts):





      Esta W5 será provavelmente menos violenta do que a W3 (Março de 2008 a Março de 2009) mas ainda chegará para que muita gente fique com os cabelos em pé...

      Para finalizar, uma "notícia" de última hora: o PIB do Reino Unido caiu "inesperadamente" no 3ª trimestre. E é que foi mesmo uma coisa inesperada, principalmente para quem não leu este post...

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 22 de outubro de 2009

      MELHORIAS PEQUENAS E DISPERSAS

      Ontem, às 19h00, foi divulgado o Beige Book pela FOMC (Federal Open Market Committee) e, ao que parece, o mercado não gostou nada.

      Tendo lido os primeiros parágrafos, a parte que o mercado não terá gostado deverá ser esta:

      "Reports of gains in economic activity generally outnumber declines, but virtually every reference to improvement was qualified as either small or scattered."

      Ou seja:

      Os relatórios de ganhos na actividade económica superam, no geral, os de declíneo mas praticamente todas as referências de melhorias foi qualificada como sendo pequena ou dispersa.

      Não sei bem do que o mercado estava à espera mas há muito que venho dizendo que a recuperação é apenas estatística e não real e, por isso, esse Beige Book não me surpreendeu de todo...

      Boas vendas ;-)

      Dax Speculator

      quarta-feira, 21 de outubro de 2009

      Mexer nos impostos?

      Francisco Van Zeller disse na passada 3ª feira que só será possível reduzir défice com mexida nos impostos e claro que, lendo nas entrelinhas, ele quererá dizer mais impostos para a classe média que trabalha por conta de outrém e não para as "suas" empresas.

      Se a ideia for acabar de vez com as hipóteses de recuperação económica então estou totalmente de acordo, força nisso! Caso contrário isso não faz sentido nenhum pois, no actual quadro macro-económico caro Van Zeller, aumentar impostos (IRS ou IVA) à classe média significaria menos consumo privado, logo e considerando que as outras variáveis (investimento público + investimento privado + exportações - importações) se mantêm, menos PIB. Ora menos consumo também significa menos IVA, ou seja, não será por aqui que se conseguirá reduzir o défice de conta corrente.

      Para reduzir o défice caro Van Zeller, é preciso reduzir a despesa. Se a receita foi, até Setembro de 26.046 milhões de euros, a despesa até Julho não pode ser de 35.133 milhões de euros! Estamos consistentemente a gastar mais do que ganhamos e, quanto mais tarde corrigirmos isso mais difícil será fazê-lo!

      Quanto aos salários, estou de acordo e considero que em 2010 não deve haver aumentos salariais pois a inflação será certamente nula ou até negativa.

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      terça-feira, 20 de outubro de 2009

      JERONIMO MARTINS DA SINAL DE VENDA

      Na passada 2ª feira a Jerónimo Martins deu um importante sinal de venda pois quebrou em baixa o canal ascendente que vinha suportando a sua cotação desde meados de Julho.

      O objectivo mínimo desta quebra em baixa do canal ascendente são os 5.25€ e há que realçar o facto da quebra em baixa ter sido feita com um volume superior à média dos últimos 50 sessões.

      Eis o gráfico da distribuidora nacional dona das marcas Pingo Doce, Feira Nova e Recheio em Portugal e Biedronka e Bliska Apteka Na Zdrowie na Polónia:



      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      domingo, 18 de outubro de 2009

      HIPOTECAS CONTINUAM A AUMENTAR

      Elizabeth Warren do Painel de Fiscalização do Congresso Americano diz que as notícias positivas na habitação são apenas uma parte da história. Ou seja, apesar do programa "Making Home Affordable" do governo Americano, as execuções de hipotecas continuam a aumentar. Ver o vídeo:



      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 15 de outubro de 2009

      Porque ainda não batemos no fundo?

      Esta crise veio por um ponto final na sociedade de consumo (desenfreado) baseada no crédito fácil. Isso acabou! A desalavancagem financeira está aí e nenhum governo conseguirá travar-la: aqueles que tentarem fazer-lo serão pura e simplesmente esmagados. Aquilo que a FED e o Tesouro Americano fizeram foi tentar obter algum equilíbrio entre a oferta e a procura e, assim, evitar o colapso dos mercados de dívida imobiliária e uma gravíssima depressão. Para atingir esse objectivo compraram, até à data, sensivelmente 1 trilião de dólares em MBS (Mortgage Backed Securities)...

      Resumidamente, aquilo que fizeram foi necessário para evitar uma 2ª Grande Depressão mas representou apenas mais uma fuga para a frente. O problema é que não se pode fugir indefinidamente para a frente porque, a dado momento, ou aparece uma parede blindada ou se forma um bola de neve tão grande que perdemos totalmente o controlo da situação. Por isso, é imperativo parar e inverter o sentido da marcha. E estamos muito próximos desse ponto...

      E o que representa essa parede e essa bola de neve de que falo? A parede são os credores dos EUA e a bola de neve é o défice de conta corrente Americano que se cifra actualmente em 1,58 triliões de dólares para um orçamento de 3.65 triliões de dólares e um PIB de 14.3 triliões de dólares. Em termos percentuais, esse défice representa 43% do orçamento e 11% do PIB. Actualmente, para conseguirem fugir para a frente, os EUA estão a aumentar a sua actual dívida de 11.1 triliões em 8% do PIB ao ano, ou seja, todos os anos. Isso representará uma dívida de 12 triliões em 2010, 13 triliões em 2011, 14 triliões em 2012, 15.1 triliões em 2013, 16.3 triliões em 2014 e 17.6 triliões em 2015. Mas o PIB não crescerá a esse ritmo e não será certamente maior do que 15.8 triliões em 2015 (assumindo um crescimento de 2%/ano que poderá não se concretizar). Ou seja, a continuar assim, os EUA passarão de uma actual dívida de 77.6% do PIB para uma dívida de 114% do PIB em 2015 e muito provavelmente a um ponto de não retorno (pensem no Japão)...

      Foi em parte - as sucessivas guerras também contribuíram para este défice - por causa dessa fuga para a frente que as finanças Americanas chegaram a este ponto. O problema é que, quanto mais tarde se tentar inverter este rumo, mais difícil será fazê-lo. Para piorar a situação, a FED iniciou no ano passado uma série de medidas que terão, a longo prazo, consequências inflacionistas. No médio prazo isso não acontecerá porque existem forças deflacionistas (desalavancagem, recessão, credit crunch,...) que equilibram as coisas. Ora, essa inflação reflectir-se-á num aumento das taxas de juro e, consequentemente, num aumento do défice de conta corrente. A fuga para a frente é por isso uma bola de neve que, se não forem tomadas medidas com carácter de urgência, será impossível deter.

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      terça-feira, 13 de outubro de 2009

      COMO CONTROLAR O MONSTRO

      Ernâni Lopes disse ontem num relatório da sua autoria (e de Poças Esteves) que a única forma de consolidar as contas públicas é reduzindo a despesa. Até aqui estou totalmente de acordo pois a economia não aguentaria mais subidas de impostos.

      Contudo, o relatório acrescenta que a redução da despesa terá de ser atingido através da redução do número de funcionários públicos. Aqui já não estou inteiramente de acordo visto que, tal como já tive oportunidade de referir aqui no blog em "COMO INVERTER O RUMO DA ECONOMIA", o estado continua a gastar muito dinheiro mal gasto em muitas outras coisas. Deixo aqui as minhas sugestões para o estado conseguir reduzir de uma vez por todas a sua monstruosa despesa:

      1. Simplificar e estabilizar o mutante modelo fiscal Português para libertar os funcionários públicos de tarefas pouco produtivas e canalizá-los para acções de fiscalização. Esta medida contribuiria certamente para um aumento da receita visto que, com um sistema fiscal mais simples e estável, a fuga ao fisco tornar-se-ia mais difícil e menos apetecível;
      2. Controlar financeiramente e efectivamente as empresas públicas que dão continuados prejuízos ao estado, tais como a EP, CP, Refer, RTP, TAP...;
      3. Fiscalizar a atribuição do Rendimento Mínimo e de outros subsídios para que apenas os que realmente necessitem usufruam destes visto que, claramente, não é isso que está a acontecer;
      4. Finalmente, reduzir o número de funcionários públicos.

      De resto estou totalmente de acordo com o relatório no que diz respeito a uma recuperação hesitante e lenta...

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      segunda-feira, 12 de outubro de 2009

      ESTAMOS A EMPRESTAR, DIZEM ELES...

      Hoje de manhã estava a ver o gráfico do Nasdaq quando uma notícia me chamou atenção: Capitol Report: Banks cutting back on loans to businesses. E o que diz esta notícia? Diz que os bancos Americanos estão a cortar nos novos empréstimos às empresas, obrigando aquelas que podem (as grandes) a irem buscar o capital de que necessitem a outras fontes (retenção dos ganhos, emissão de obrigações, emissão de acções,...) e dificultando a vida aquelas que não têm outra fonte de capital que não o crédito.

      No fundo, esta notícia vem confirmar aquilo que disse no ponto 1 em "DESEMPREGO DESMENTE RECUPERAÇAO":

      "não haverá uma verdadeira recuperação económica enquanto que não se verificarem vários pré-requisitos. E esses pré-requisitos são:

      1- Os bancos limparem os seus balanços e reconheçam de facto as suas previsíveis perdas para poderem de novo confiarem uns nos outros e, assim, emprestar dinheiro sobretudo às empresas mas também aos particulares
      ..." 

      Eis os gráficos da evolução de todo o crédito concedido por bancos Americanos desde 2001 (1º gráfico) e desde 1973 (2º gráfico):









      Como se pode ver no 2º gráfico houve, a partir de 2002, uma maior aceleração no crédito concedido a empresas e particulares nos EUA e, certamente, também na maioria dos países desenvolvidos. O que estamos a assistir actualmente na concessão de crédito é à uma correcção para a média, correcção essa que deverá levar o crédito total concedido para baixo desta (a média) antes de retomarmos um crescimento normal e sustentado do crédito global...

      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      quarta-feira, 7 de outubro de 2009

      JOSEPH STIGLITZ JUNTA-SE AO CLUBE

      O economista Joseph Stiglitz, vencedor de um Prémio Nobel, disse 2ª feira numa entrevista à Bloomberg que o desemprego nos EUA deverá continuar a aumentar e que este deveria ser a principal preocupação dos responsáveis pelas políticas monetárias e que os investidores - eu diria antes jogadores -  têm sido irracionalmente exuberantes acerca de uma suposta recuperação económica.

      Temos assim um painel completo de investidores, especuladores e economistas que entendem que o pior poderá já ter passado mas que a verdadeira recuperação económica ainda não começou. Pertencem a esse distinto clube, entre outros:


      Bons negócios,

      Dax Speculator

      terça-feira, 6 de outubro de 2009

      RECUPERACAO NAO INDUSTRIAL NO REINO UNIDO

      Ficamos hoje a saber que a Produção Industrial de Agosto do Reino Unido afundou para o seu mais baixo nível desde 1992, descendo 1.9% relativamente ao mês anterior. Eis o gráfico da evolução da Produção Industrial no Reino Unido desde 2005 (cortesia da Bloomberg):





      Os economistas ficaram chocados pois esperavam um aumento de 0.3%. Eu não fiquei chocado e espero que este índice continue a bater mínimos sucessivos durante o próximo ano pois, como disse na passada 6ª feira, enquanto que os bancos não limparem de facto os seus balanços e não reconhecerem de facto as suas previsíveis perdas; os governos intervirem continuadamente na economia (não deixando o mercado funcionar correctamente) e os consumidores não equilibrarem os seus balanços, não teremos nenhuma recuperação consistente.

      Relativamente aos governos, uma coisa é uma inevitável medida temporária para evitar o colapso e o pânico, outra coisa é essa medida temporária ser estendida indefinidamente como parece ser o caso...

      Felizmente do lado dos consumidores parece começar a haver algum juízo pois as taxas de poupança parecem já terem iniciado um novo ciclo (desta vez de subida), como se pode ver neste gráfico relativo ao consumidor Americano:





      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 2 de outubro de 2009

      Desemprego desmente recuperação

      Hoje saíram os dados relativos aos "Nonfarm Payrolls", ou seja, os salários dos trabalhadores não agrícolas por conta de outrem.

      Este é dado muito importante para o mercado accionista pois sem emprego não há consumo, sem consumo não há economia e sem economia as acções ficam, no mínimo, pressionadas.

      Pessoalmente, não dou assim tanta importância a este dado pois considero-o um indicador atrasado. De qualquer forma, este mês de Setembro ficamos a saber que a situação do desemprego continua a agravar-se pois perderam-se 263 mil assalariados e a taxa de desemprego só não explodiu já para 10.2% porque houve um decréscimo de 571 mil trabalhadores no activo, deixando a taxa de desemprego nos 9.8%.

      Concluindo, os "Nonfarm Payrolls" vêm confirmar aquilo que tenho dito várias vezes nos últimos 2/3 meses: não haverá uma verdadeira recuperação económica enquanto que não se verificarem vários pré-requisitos. E esses pré-requisitos são:
      1. Os bancos limparem os seus balanços e reconheçam de facto as suas previsíveis perdas para poderem de novo confiarem uns nos outros e, assim, emprestar dinheiro sobretudo às empresas mas também aos particulares;
      2. Os governos pararem de intervir na economia e deixarem o mercado funcionar pois estes não estão financeiramente preparados para, sozinhos, tomarem conta da doente economia;
      3. Os consumidores limparem os seus balanços e encararem o facto de que não é possível viver continuamente acima das suas possibilidades.
      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      terça-feira, 29 de setembro de 2009

      Um novo canal para a Portugal Telecom?

      Hoje decidi continuar a saga "UM NOVO CANAL PARA..." com a Portugal Telecom (PTC). O panorama técnico da PTC é, no semanal, em tudo semelhante ao do S&P 500: caiu demasiado rápido e, por isso, tivemos este impressionante rally.

      No entanto e como já tive oportunidade de o referir anteriormente (ver, por exemplo, "AINDA NAO CARO SOROS"), a recuperação real ainda não começou pois, mesmo que o PIB Americano no 3ª trimestre seja positivo, isso não impedirá que o desemprego passe a barreira psicológica dos 10% e continue a subir pelo menos até finais de 2010, o que não deverá agradar nada ao Sr. Mercado.

      Relativamente à Portugal Telecom, houve um fortíssimo volume no dia 17 deste mês (ver "MAIOR VOLUME DESDE SETEMBRO 2008") que o leitor interpretará como bem entender mas ao qual eu chamaria de distribuição e que está de acordo com a possibilidade da PTC estar a formar um novo canal descendente de negociação que se assemelhará a isto:



      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 25 de setembro de 2009

      DURABLE ORDERS DESCEM 2.4 PORCENTO

      As encomendas de bens duradouros desceram hoje 2.4%, surpreendendo os mais optimistas tais como a CNBC.

      Mas isso é porque, das duas três: ou não percebem nada de macro-economia porque senão saberiam que entre recessão e crescimento há quase sempre uma período de estagnação/consolidação no qual estamos actualmente, ou são demasiado optimistas, ou então sofrem também de alguns conflitos de interesse...

      Seja como for, quem analisou friamente os dados já sabia que aqueles 4.9% (revistos em baixa dos iniciais 5.1%) não eram sustentáveis.

      Finalmente, mais importante do que saber se subiram ou desceram 2%, e já referido aqui é saber que enquanto esta e outras variáveis avançadas não estiverem claramente viradas para norte não haverá green shoots para ninguém.

      Um bom fim-de-semama,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 24 de setembro de 2009

      FED levanta o pé do acelerador

      A minuta da FOMC foi mais optimista do que a anterior pois, segundo a FED, passamos de uma economia a nivelar a uma que começa a acelerar:

      "Information received since the Federal Open Market Committee met in August suggests that economic activity has picked up following its severe downturn."

      Mas a má notícia para os mercados é que a FED está a levantar o pé do acelerador e as restantes compras de aproximadamente 400 biliões de MBS para atingir o objectivo dos 1.25$ triliões e de 35 biliões de dívida às agências federais - Freddie Mac, Fannie Mae, entre outras - para atingir o objectivo dos 200 biliões será feita mais lentamente pois a Reserva Federal Americana adiou a concretização destes objectivos - anteriormente previstos para o próximo mês de Outubro - para o final do 1º trimestre de 2010:

      "The Committee will gradually slow the pace of these purchases in order to promote a smooth transition in markets and anticipates that they will be executed by the end of the first quarter of 2010."

      Resumindo e concluindo, desde o início do ano a FED tem vindo a subsidiar a procura de dívida imobiliária, estabilizando assim um mercado que, caso contrário, teria pura e simplesmente entrado em colapso. Só que essa foi uma medida temporária que serviu apenas esse propósito de estabilização. Agora a FED prepara-se para deixar novamente o mercado funcionar mas os mercados accionistas parecem ter tido ontem algumas dúvidas quanto ao equilíbrio entre a oferta e a procura no futuro mercado não subsidiado de dívida imobiliária...

      Nota: quem quiser ler a minuta na íntegra, é só aceder a este link.

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      terça-feira, 22 de setembro de 2009

      CASH FOR FDIC?

      Depois do "sucesso" do programa governamental Americano "Cash for Clunkers", o próximo "estímulo" poderá bem chamar-se "Cash for FDIC" pois a instituição equivalente ao nosso Fundo de Garantia de Depósitos está a fica sem cheta.

      Desta vez o programa poderá ter o patrocínio dos bancos Americanos mais saudáveis ou, melhor, menos danificados (JP Morgan, Goldman Sachs, Wells Fargo, entre outros) pois, por questões políticas, o FDIC parece não querer pedir a massa emprestada ao Tesouro Americano. Isto porque consta-se (ver também este artigo no NY Times) que a agência federal poderá precisar de uns 500 mil milhõeszitos de dólares para dar conta do recado pois, enquanto uns festejam o fim da recessão, dezenas de bancos Americanos abrem falência todos os meses: só neste inacabado mês de Setembro faliram 10 bancos nos EUA. Em Agosto foram 15 e em Julho 24...

      Para se ter uma ideia do custo que cada uma dessas falências representa para o FDIC, tomemos como exemplo o fecho do Guaranty Bank que tinha aproximadamente metade da dimensão do BPI. Esse fecho custará ao FDIC uns 3 mil milhões de dólares e isto porque o FDIC conseguiu chegar a acordo com o BBVA para minimizar as perdas...

      Bons negócios,

      Dax Speculator

      segunda-feira, 21 de setembro de 2009

      A EFICIENCIA E OS EXAGEROS DO MERCADO

      Como sabemos, a teoria dos mercados eficientes levou uma grande machadada no ano passado mas isso não quer dizer que os mercados sejam totalmente ineficientes. Pessoalmente nunca considerei que o mercado fosse perfeitamente eficiente mas também nunca o considerei totalmente ineficiente. Na minha opinião o mercado é:
      • Ineficiente no curto prazo;
      • Eficiente no longo prazo;
      "Talvez  por isso" o meu horizonte de investimento seja precisamente o médio e o longo prazo, nunca o curto prazo.

      Existe comprovadamente uma relação de longo prazo entre o mercado e os resultados das empresas e é com base nessa relação que o investidor deve formar as suas expectativas e não com base em expectativas dos media, dos políticos ou dos muitos analistas com conflitos de interesses que andam por aí a mandar bitaites...

      Já em 1934, Benjamin Graham definia na perfeição essa relação:

      "In the short term, the stock market behaves like a voting machine, but in the long term it acts like a weighing machine"

      Ou em Português:

      "No curto prazo, o mercado de acções comporta-se como uma máquina de votar, mas no longo prazo, ele age como uma balança"

      De seguida irei ilustrar essa relação de longo prazo e, para isso, precisarei apenas de 2 gráficos. O 1º representa a evolução dos resultados trimestrais reportados pelas empresas que constituem ou constituíram o S&P 500 desde Março 1988 até Junho 2009:



      De DAX Index Speculator - Futuros e Opções / Futures and Options

      O 2º representa a evolução trimestral da cotação do S&P 500 no mesmo período:



      De DAX Index Speculator - Futuros e Opções / Futures and Options

      Como se pode ver, o mercado tem tido uma boa correlação com os resultados das empresas, pecando apenas por um exagerado optimismo nalguns períodos recentes, tais como em 2000 quando o S&P 500 apresentava-se com um PER de 29...

      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 18 de setembro de 2009

      Exxon mobil travada pelo canal descendente

      Desde a minha última análise à Exxon Mobil (XOM), há quase um ano (ver "AT DA EXXON MOBIL"), a Exxon acabou por ir praticamente aos 84 USD, muito perto do meu target (88).

      Desde essa altura fez um lower high, está a chegar ao vértice de um triângulo simétrico (entre os 65 e os 75 USD) e continua limitada pelo seu canal descendente:


      De


      Estes dados técnicos não auguram nada de bom para o título pois são todos bearish (os triângulos simétricos são padrões de continuação) e corroboram a minha expectativa de que serão as acções ligadas às matérias-primas a liderar a última fase do bear market, a fase da capitulação...

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 17 de setembro de 2009

      MAIOR VOLUME DESDE SETEMBRO 2008

      Hoje quero fazer um pequena chamada de atenção para o monstruoso volume (148 milhões de acções) que se fez hoje, 5ª feira, na Euronext Lisboa:

      De DAX Index Speculator - Futuros e Opções / Futures and Options

      O que estará o smart money a dizer-nos? Que a economia já bateu no fundo ou que os media não sabem o que dizem??

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      quarta-feira, 16 de setembro de 2009

      WARREN BUFFETT: NAO HA RESSALTO (II)

      Numa entrevista à revista Fortune, Warren Buffett continua com a mesma opinião que tinha em Junho (ver "WARREN BUFFETT: NAO HA RESSALTO") relativamente à economia Americana, ou seja, que não vê nenhum ressalto. Mas acrescenta agora que a economia também não se está a deteriorar.

      Relativamente aos mercados, Warren diz que esteve a comprar acções ainda ontem de manhã. Eis o vídeo que também pode ser visto aqui:





      Os media trataram logo de embelezar as palavras de Warren, procurando ir um pouco mais além no optimismo a ver se as vendas sobem. Veja-se, por exemplo, o nosso Jornal de Negócios:

      "Buffett diz que crise económica já bateu no fundo"

      Revendo a entrevista, não ficam dúvidas sobre o que Warren Buffett respondeu à bonita Poppy Harlow quando esta lhe perguntou se ele concordava com Ben Bernanke sobre o fim da recessão:

      "Bem, eu não sei a resposta a isso..."

      Será que a jornalista Carla Pedro precisa de ir ao Wall Street Institute para melhorar o seu Inglês ou terá alguns conflitos de interesses a perturbar-lhe o raciocínio...?

      Finalmente, uma palavra para Warren Buffett:

      Warren, fazes muito bem comprar acções todos os dias úteis do ano pois o teu horizonte de investimento (muito longo prazo, de preferência para sempre) permite-te ignorar o que acontece no médio prazo e, por isso, também podes ignorar os meus avisos de turbulência para os próximos meses. Mas, se me permites um conselho, não te entusiasmes muito, OK? Já agora, continuas a vender aquelas Moody's com aquela força toda? 

      Abraço,

      Dax Speculator

      segunda-feira, 14 de setembro de 2009

      Diamante no Citibank?

      O Citibank foi uma das instituições bancárias que mais sofreu nesta crise: desceu de uma capitalização bolsista de 237 mil milhões de dólares em Outubro 2007 para uns meros 5.8 mil milhões de dólares no passado mês de Março (um tombo de 98%!) e só não foi à falência graças ao generoso contribuinte Americano.

      Entretanto e desde aí, o Citi conseguiu recuperar quase metade dessas perdas e encontra-se actualmente com uma capitalização bolsista de 106 mil milhões de dólares. No entanto, o banco continua com uma gigantesca e problemática carteira de créditos no seu balanço pelo que me parece que parte do sofrimento terá sido apenas adiada...


      Em termos técnicos, o Citi está a formar um diamante que, a ser quebrado em baixa, o projectará rapidamente (depois de activados, os diamantes costumam ser muito voláteis) para os 3.7 USD. Como se pode ver no gráfico (cortesia da MarketWatch), o volume decresce ao longo do padrão:




      Já agora e para finalizar, deixo-vos o link de um excelente artigo do The New York Times sobre o que aconteceu às capitalizações bolsistas dos maiores bancos Americanos: How the Giants of Finance Shrunk, Then Grew, Under the Financial Crisis.

      Votos de uma boa semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 11 de setembro de 2009

      UM NOVO CANAL PARA O S&P 500?

      Hoje estava a olhar para uns gráficos semanais do S&P 500 e, de repente, algo me chamou atenção: se traçarmos uma LT (Linha de Tendência) descendente entre o mínimo de Novembro 2006 ao mínimo do passado mês de Fevereiro e outra LT descendente com início no máximo de Dezembro 2007 e paralela à LT inferior, ficamos com este hipotético canal descendente de longo prazo:




      Para este canal ser validado, teremos que estar a formar aqui um topo de médio prazo. Todos os indicadores fundamentais que possuo dizem-me que será isso que irá acontecer. E os técnicos também, senão vejamos o longo prazo:




      Falta apenas a importante confirmação por parte do Sr. Mercado. Veremos o que ele nos reserva para 2009 mas pressinto que não será nada de doce...

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quarta-feira, 9 de setembro de 2009

      S&P 500 NO MIDPOINT DE OUTUBRO 2008

      O S&P 500 encontra-se muito perto da resistência criada pelo midpoint da vela do mês de Outubro 2008, os 1067, um valor "curiosamente" próximo dos 50% de retracement de Fibonacci já referidos aqui. Eis o gráfico, cortesia da BigCharts:



      "Curiosamente" também temos a divergência do MACD mensal que tenta, pela 1ª vez desde Novembro 2007, fechar o mês com um valor positivo. A ver vamos se consegue. No final do mês teremos a resposta...

      Bons negócios,

      Dax Speculator

      terça-feira, 8 de setembro de 2009

      Corretoras não autorizadas pela CMVM

      A massificação da Internet trouxe inúmeras vantagens mas também muitos inconvenientes. Um dos maiores inconvenientes é a fraude.

      Existem diversos (centenas) tipos de fraude pela Internet mas a que me interessa chamar atenção aqui é a da intermediação financeira não autorizada: existem actualmente diversas entidades a anunciarem esses serviços mas que não estão autorizadas pela CMVM.

      Algumas dessas entidades também já anunciaram aqui no blogue mas, logo que me apercebi, bloqueia-as. Tendo em conta que os anunciantes estão sempre a mudar (várias vezes por hora e dependendo de muitas variáveis tais como a sua localização), é perfeitamente natural que não as consiga bloquear todas e, por isso, resolvi fazer esta chamada de atenção. Aqui fica uma das últimas notícias sobre este tipo de fraudes:

      http://www.ionline.pt/conteudo/11571-internet-dificulta-regulacao-sociedades-financeiras

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      segunda-feira, 7 de setembro de 2009

      CUNHA ASCENDENTE NA ORACLE?

      Na passada 5ª feira, a Oracle quebrou em baixa uma cunha ascendente que tem como objectivo mínimo os 19.8 USD.

      Como se pode ver no gráfico e tal como é de esperar para este padrão, o volume vai diminuindo ao longo do tempo (gráfico da cortesia da BigCharts):



      No entanto, na passada 6ª feira a Oracle voltou a fechar acima da LT ascendente inferior, restando saber-se se é apenas ruído ou se se trata mesmo de um falso breakout. Para já, estou inclinado para a 1ª hipótese porque a distribuição tem sido notória neste título (ver elevado volume na 2ª quinzena de Junho).

      Finalmente, as últimas notícias relativas à Oracle dão conta que a Comissão Europeia deverá aprofundar o seu estudo relativamente à oferta de compra da Sun Microsystems pois esta poderá não estar de acordo com as regras de concorrência para o mercado de software. Esta não é uma boa notícia para a Oracle pois a Comissão Europeia é já conhecida pela dureza das suas tomadas de posição (ver caso Microsoft)...

      Votos de uma boa semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 4 de setembro de 2009

      MANUELA, A POLUIDORA

      Até que enfim que a TVI mandou a Manuela Moura Guedes e o seu rafeiro Jornal Nacional de 6ª feira embora. Politiquice à parte (*), este "jornal" quebrava a grande maioria dos códigos deontológicos do jornalismo. Era mais uma espécie de reality show do jornalismo com todos os ingredientes rascas associados a esse tipo de programas. Enfim, a Manuela Moura Guedes plástica não deixará saudades, era pura poluição...

      E por falar em poluição, eis um interessante mapa mundial com uma estimativa das emissões de carbono, mortes e nascimentos por segundo em todo o mundo:

      http://www.breathingearth.net

      Em Portugal, em média, more 1 pessoa por cada 4,6 minutos e nasce outra em cada 4,7 minutos. A continuar esta tendência, teremos um problema demográfico pela frente...

      PS: não sei se já disse isso mas, sempre que possível e principalmente às 6ª feiras, procurarei abordar um tema extra-mercados pois conta o ditado que "dinheiro não é tudo na vida".

      (*) - A política e a sua prima, a politiquice, estão também poluídas, daí que raramente escreverei sobre isso.

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 3 de setembro de 2009

      ESPECULAR COM SUCESSO

      Hoje vou aprofundar ainda mais este tema de ser especulador. Já tinha abordado este tema pelo menos 2 vezes no ano passado (ver "SER ESPECULADOR" e "COMO TER SUCESSO") mas parece-me ser apropriado actualizar hoje este tema.

      Por isso, decidi publicar novamente os conceitos que considero serem a chave para o sucesso e reordena-los por importância (os mais importantes em 1º lugar):

      1. Conhecer sempre bem a actual envolvente macro-económica e política. No contexto macro-económico, identificar correctamente o momento em que nos encontramos em cada um dos diversos ciclos: o Super Ciclo, o Grande Ciclo e o Ciclo Normal ou apenas Ciclo;
      2. Ter uma adequada estratégia de "money management" (alocação de capital), ou seja, mais agressiva nos trades a favor da tendência de longo prazo (actualmente de queda) e mais defensiva nos que vão contra esta tendência. Por isso o especulador deve negociar preferencialmente a favor da tendência dominante mas pode e deve ser "Contrarian" quando está toda a gente do mesmo lado da barricada, tipicamente no fim dessa tendência. Finalmente e excepções à parte, não expor mais de 30% do capital por classe de activo (derivados, câmbios, matérias-primas e metais preciosos, acções, obrigações, ...) (*);
      3. Deixar todas e quaisquer emoções completamente de lado pois estas são inimigas da humildade, racionalidade, capacidade de previsão, entre outras. Emoções a evitar a todo custo são a euforia, o medo, a culpa,...;
      4. Negociar preferencialmente o médio e longos prazos pois o curto prazo é, na minha opinião, demasiado imprevisível e cansativo, o que limita as probabilidades de sucesso consistente;
      5. Ter a probabilidade do nosso lado, ou seja, não negociar probabilidades baixas de sucesso (inferiores a 50%). Exemplificando: se considero que a probabilidade de a verdadeira (não a estatísca) recuperação económica já ter começado ser apenas de 15%, não devo especular essa possibilidade;
      6. Ter um plano de trading claro e bem definido;
      7. Ser paciente: os mercados demoram tempo a movimentarem-se e, por isso, temos de saber quando esperar e quando agir;

      (*) - Penso que há muito mais a dizer sobre Money Management e irei aprofundar este tema na próxima oportunidade.

      Quem quiser saber mais sobre algum destes tópicos que não hesite em fazer perguntas na parte dos comentários que responderei logo que possível.

      Boa sorte,

      Dax Speculator

      terça-feira, 1 de setembro de 2009

      CHINA A LIDERAR?

      Enquanto os mercados Americanos e Europeus começam a querer corrigir, o mercado accionista Chinês já caiu 23% desde o pico de Agosto (ver "HANGING MAN EM SHANGHAI"). Este mercado está provavelmente a liderar uma correcção que, pela minha análise, deverá levar os principais índices bolsistas a quebrarem os mínimos de Fevereiro/Março.

      O gráfico que se segue relaciona o Shanghai Stock Exchange Composite Index com o S&P 500, mostrando o rácio do 1º dividido pelo 2º:




      Como se pode observar, o Shanghai Stock Exchange Composite Index liderou este gigantesco rally que está agora a desfalcer pois começou já a subir em Novembro 2008 enquando o S&p 500 começou apenas em Março 2009. Esta liderança, para a qual já tinha feito uma chamada de atenção em finais de 2007 (ver "LIDER NOS 6000") dever-se-há muito provavelmente a:

      1. Desde 2005, a China ter sido responsácel por 73% do crescimento global do consumo de petróleo e 77% do crescimento global do consumo de carvão;
      2. Desde 2004, os especuladores estarem focados nos mercados de matérias primas e metais preciosos.

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 27 de agosto de 2009

      DUPLO TOPO NA VALE DO RIO DOCE

      Desde a minha última análise à Companhia Vale do Rio Doce, altura em que se observava um intervalo de negociação entre os 1o e os 18 USD e se colocava a hipótese de um Head & Shoulders, a situação técnica mudou:
      • Em 1º lugar, o Head & Shoulders não foi activado;
      • Em 2ª lugar, o intervalo de negociação foi alargado para os 1o e os 21 USD.
      Actualmente, estamos na presença de um possível (porque este também ainda não foi activado) Duplo Topo que, na minha opinião tem fortes probabilidades de ser activado. Eis o gráfico da cortesia da StockCharts:



      Finalmente, o relatório avançado do PIB Americano do 2ª trimestre não trouxe grandes novidades relativamente à 1ª estimativa pois manteve-se a previsão de uma queda de 1% relativamente ao mesmo período do ano passado.

      O destaque vai para o consumo privado, principal motor da economia Americana, que continua a cair. A não ser se virarmos o gráfico de pernas para o ar, não percebo o porquê de tanta euforia (gráfico da cortesia do Briefing):




      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quarta-feira, 26 de agosto de 2009

      S&P 500 NA LT DESCENDENTE

      O S&P 500 encontra-se a testar a LT descendente de longo prazo, com início nos máximos de Março 2008. Para além disso, o índice mais representativo dos EUA já alcançou os 38.2% de retracement de Fibonacci mas ainda não chegou aos 50%. Na minha opinião, esta LT é A resistência que o S&P 500 terá de ultrapassar para provar que este rally não é mais do que um "sucker" rally. Eis o gráfico (cortesia do BigCharts):




      Hoje foram divulgadas as encomendas de bens duradouros de Julho. Subiram 4,9%, bem acima do aumento de 3,2% previsto. No entanto, o título pode ser muito enganador. Vejamos porquê, com a ajuda do Briefing:

      - O pacote de estímulo "Cash for Clunkers" não foi o responsável por este aumento pois as vendas de carros e peças cresceu apenas 0,9% após um declínio de 0,2% em junho;
      - Em vez disso, o crescimento global foi impulsionado por um aumento colossal de 107.2% nas encomendas de aviões, excluindo os de defesa. As encomendas de aviões são geralmente altamente voláteis e, por isso, crescimentos deste nível de grandeza não são sustentáveis;
      - O Investimento não residencial iniciou uma nova tendência de queda pois as novas encomendas, excluindo defesa e aviões, caíram 0,3%...

      Ou seja, grande parte deste aumento deveu-se ao volátil segmento dos aviões (comerciais e jactos) pelo que não é de esperar que este se mantenha a estes níveis.

      Muito mel,

      Dax Speculator

      segunda-feira, 24 de agosto de 2009

      AS ACÇOES PODEM VOAR?

      Warren Buffett costuma dizer que as árvores não sobem aos ceús mas a colunista da Reuters acredita que sim, pelo menos pelo título da sua "notícia":

      "Stocks may fly on housing, consumers"

      O engraçado (mas espectável) é que, ao ler a "notícia", não se encontra mais nenhuma referência nem justificação para a remota possibilidade das acções poderem voar. Ó Raquel então?

      Vamos lá ver o que o futuro nos reserva mas Dax Speculator considera este tipo de "notícias" um mau presságio...

      Votos de uma excelente semana,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 21 de agosto de 2009

      PER EM MÁXIMOS

      Por motivos já referidos anteriormente (ver "PER ENGANADOR"), o PER ou mesmo o PER TTM (Trailing Twelve Months) não deve fazer parte de nenhuma estratégia de investimento.

      No entanto, o PER TEM (Trailing Eighteen Months), ou seja, o rácio preço/média resultados reportados nos últimos 18 meses, é um indicador que, na minha opinião, deve ser tido em conta quando se encontra em valores extremos como é o caso actualmente:




      Já agora e a título de curiosidade, eis o PER desde Março 1988 trimestre a trimestre e, por isso, com mais volatilidade:





      Nota: o 1º gráfico foi corrigido pois estava errado.

      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 20 de agosto de 2009

      PERDAS ACELERAM NOS CMBS

      Enquanto que os media já falam de boca cheia no fim da recessão, as perdas nos empréstimos CMBS ("Commercial Mortgage Backed Securities") nos EUA vão-se acumulando.

      Na prática, os CMBS são empréstimos imobiliários comerciais. Os principais destinos deste tipo de empréstimo são novos(as) ou reconvertidos(as) clínicas, prédios, escritórios, shoppings e outras superfícies comerciais, hoteis e fábricas.

      Os últimos dados de que disponho são relativos a Junho e o cenário é negro e de aceleração da tendência iniciada em finais de 2008 pois só em Junho os atrasos superiores a 30 dias nos pagamentos subiram 53% relativamente a Maio, explodindo uns substanciais 9.87 mil milhões de USD para um total de 28.65 mil milhões de USD nos últimos 12 meses (gráficos da cortesia da RealPoint):







      Este brutal agravamento dos atrasos nos pagamentos dos CMBS é um mau presságio para a economia Americana (e global) pois representa cerca de 13% do PIB Americano...

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      terça-feira, 18 de agosto de 2009

      VIX

      O Chicago Board Options Exchange Volatility Index (VIX), índice que mede a volatilidade implícita média paga pelos especuladores por opções sobre o S&P500 subiu ontem quase 15%.

      Mais importante ainda, a quebra em alta da LT descendente que vinha desde Outubro 2008 e o MACD deram um forte sinal de compra no gráfico semanal (cortesia do MarketWatch):



      Este cenário era expectável pois o gráfico apresentava, desde Maio, uma importante divergência bullish do MACD relativamente ao preço. Nas próximas semanas é de esperar que o VIX se aproxime dos 33, a próxima resistência significativa...

      Cumprimentos,

      Dax Speculator

      sexta-feira, 14 de agosto de 2009

      Cunha Ascendente na Google?

      Cada vez são mais as cotadas com padrões bearish: a última é a Google, umas das empresas tecnológicas que lidera os mercados.

      Como manda o padrão, o volume vai diminuindo ao longo do mesmo, faltando apenas a quebra em baixa da LT ascendente inferior para activar o padrão. Caso este seja activado, o objectivo mínimo é a zona dos 396 USD. Eis o gráfico:



      Um bom fim-de-semana,

      Dax Speculator

      quinta-feira, 13 de agosto de 2009

      MARC FABER E NOURIEL ROUBINI

      Este é um vídeo a não perder, não apenas porque são entrevistados 2 dos poucos gurus que previram esta crise mas principalmente pela parte em que Nouriel Roubini diz que os estímulos foram absolutamente necessários para evitar uma depressão e que a chave agora é a estratégia de saída por parte da FED e do governo Americano.

      Por sua vez, Marc Faber diz que, normalmente, as crises económicas e financeiras levam a mudanças fundamentais e de comportamentos e a uma limpeza do sistema (a destruição criativa) mas verifica que com a actual política da FED e do Tesouro Americano isso não aconteceu até agora e que, por esse motivo, a pior crise está à nossa frente e não para trás.

      Eis o vídeo:



      Na minha opinião, Faber é um pouco radical pois subvaloriza ou menospreza o risco sistémico (eu não) mas estou totalmente de acordo com ele e sei perfeitamente do que está a falar pois também prevejo que a pior crise, a total quebra do sistema, ou seja, a depressão está à nossa frente e não para trás como muitos pensam...

      Entretanto por cá, vai-se lendo algumas barbaridades como esta notícia do Público, da qual destaco o 1º parágrafo:

      "A crise em Portugal “já bateu no fundo” e os dados de crescimento do PIB são um sintoma de “melhoria ligeira”, mas o início da recuperação económica está dependente da procura induzida nos mercados externos e é urgente “passar a bola” do investimento público para o investimento privado, considera João Duque, especialista em Finanças e docente do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG)"

      Então como é? A crise em Portugal já bateu no fundo OU o início da recuperação económica está dependente da procura induzida nos mercados externos?? É que se o início da recuperação económica está dependente da procura induzida nos mercados externos E esta última continuar ou voltar a cair então a crise em Portugal AINDA NÃO bateu no fundo. Tenho a sensação que esta forma de fazer previsões é um bocado como dizer que se não é boi é vaca...

      Viva o fim da crise!

      Dax Speculator

      ECONOMIA A NIVELAR

      O comunicado de ontem por parte da FED é bem claro: a economia Americana está começar a nivelar-se.

      Eis os 2 primeiros parágrafos do comunicado:

      "Information received since the Federal Open Market Committee met in June suggests that economic activity is leveling out. Conditions in financial markets have improved further in recent weeks. Household spending has continued to show signs of stabilizing but remains constrained by ongoing job losses, sluggish income growth, lower housing wealth, and tight credit. Businesses are still cutting back on fixed investment and staffing but are making progress in bringing inventory stocks into better alignment with sales. Although economic activity is likely to remain weak for a time, the Committee continues to anticipate that policy actions to stabilize financial markets and institutions, fiscal and monetary stimulus, and market forces will contribute to a gradual resumption of sustainable economic growth in a context of price stability.

      The prices of energy and other commodities have risen of late. However, substantial resource slack is likely to dampen cost pressures, and the Committee expects that inflation will remain subdued for some time.

      ..."

      Não tendo dito nada de novo (Warren Buffett já tinha dito em Junho que a economia estava bastante parada, ou seja, sem contracção mas também sem crescimento), percebe-se a intenção da FED: querem passar um sentimento de optimismo porque sabem que a economia tem um elevado factor psicológico ou sentimental: os empresários só investem se estiverem optimistas, os consumidores só consomem se estiverem confiantes, ...

      Cumprimentos,

      Dax Speculator