quinta-feira, 9 de julho de 2015

O casino reabriu

Aparentemente, o motivo do "short covering" de hoje terá sido esta notícia da agência Reuters:

"Segunda a agência estatal de notícias Xinhua, a polícia chinesa visitou o escritório do regulador de valores mobiliários do país na quinta-feira para investigar indícios que sugerem venda a descoberto "maliciosa" de ações, no mais recente esforço por parte das autoridades para evitar um novo colapso no mercado de ações."

Com esta manobra, a equipa de proteção contra mergulhos dos mercados do governo Chinês conseguiu evitar mais um dia de crash na bolsa Chinesa mas não me parece que dure muito:

"Faites vos jeux!"

Ver também:

Chinese police visits regulator, to probe 'malicious' short-selling

quarta-feira, 1 de julho de 2015

O socialismo visto por um muído de 14 anos


Quando até um muído de 14, Shrey, percebe as consequências do socialismo torna-se díficil perceber porque há tantos adultos a suportar esta ideologia. Eis o que
Shrey tem a dizer sobre o socialismo:

"O socialismo é uma das maiores ideologias económicas do século 20. Embora a eleição geral no Reino Unido tenha sido ganha pelos capitalistas, o socialismo tem mais defensores do que nunca, pois um
contingente cada vez numeroso está a propor uma redistribuição da riqueza. Basta olhar para as 250 mil pessoas que protestaram no sábado contra os cortes dos conservadores; só para eles para anunciarem pouco tempo depois cortes de benefícios de 12.000 milhões £. Depois disto, é fácil ver que o socialismo está a tornar-se cada vez mais popular na sociedade moderna, assimo como mais e mais pessoas estão a ter consciencia da desigualdade que existe entre os 1% de super-ricos e o resto. No entanto, eu sou da opinião de que o socialismo não pode funcionar na sociedade moderna, ou qualquer sociedade. 

Eis porquê: 

Em primeiro lugar, o socialismo não recompensa o trabalho duro. Digamos, por exemplo, que Raj trabalha duas vezes mais do que o Mark. Certamente Raj deve ter direito a duas vezes o salário que recebe Mark. No entanto, num regime socialista, eles vão ambos ganhar o mesmo. Ao longo do tempo, Raj vai perceber a injustiça e vai acabar por trabalhar o mesmo do que Mark pois, afinal de contas, eles não recebem recompensas proporcionais ao seu trabalho. Isso cria uma cultura de direito, onde todos sentem que precisam de recompensas para o mínimo ou nenhum trabalho. Isso prejudica o princípio humano básico de "trabalhar duro, colher recompensas" e significa que a preguiça é promovida, o que só pode iniciar uma reação em cadeia para uma sociedade progressivamente mais irresponsável. Isto significa que mesmo as crianças pequenas, sabem que independentemente de tudo o que fizerem, só vão ganhar o mesmo que alguém e por isso não precisam de trabalhar duro, porque não há nenhuma esperança de uma grande recompensa, por isso a ética do trabalho estagna. 


Além disso, o socialismo também prejudica a inovação. Os grandes inovadores da sociedade, tais como Bill Gates, são os que se tornam membros do clube dos 1%. Isso mostra que a inovação e a produção de produtos que as pessoas realmente querem comprar origina recompensas financeiras gigantescas, que é parte da razão porque a inovação está em alta nos dias de hoje. Se a inovação não é tão fortemente recompensada através da "redistribuição da riqueza" socialista, as pessoas não vão querer inovar mais pois vão acabar por receber as mesmas recompensas do que os que não inovam, as pessoas que, francamente, não acrescentam nada à sociedade. Isso mata a inovação pois as recompensas são distribuidas igualmente por todos, com efeito, recompensando os não-produtores e punindo os produtores. Como eu li em outro site, é como se considerassemos a média de uma turma e avaliassemos todos com essa média. Claro que os piores alunos da turma saltariam de alegria perante esta proposta. No entanto os melhores alunos não estariam tão alegres. Este é exatamente o que o socialismo significa, exceto em uma escala maior. 


Finalmente, o socialismo, ao contrário da crença popular, mina valores morais básicos e promove a gratificação instantânea. Como as pessoas, depois de alguns anos numa sociedade socialista, estarão predispostas a obter algo por nada instantaneamente, elas não vão querer trabalhar duramente para conseguir o que querem e, em vez disso, vão se tornar quase como crianças pequenas na medida em que vão querem tudo muito rapidamente, tendo feito quase nenhum trabalho para isso. Agora vejam o exemplo da criança pequena e pensem porque mesmo os adultos estão a subscrever essa ideologia! Esse comportamento é tóxico numa sociedade moderna e vai matar lentamente o trabalho duro, natureza positiva que caracterizou o sonho Americano. Até um certo ponto, já estamos a ver isso com a administração Obama, com o público Americano lentamente a tornarem-se descontentes tais como a personagem Holden Caulfield em "O Apanhador no Campo de Centeio". Por deveriam trabalhar se podem obter tudo do Estado? Aqui reside o problema com o socialismo, em que os ovos maus são recompensados e os bons ovos são punidos. É este o tipo de sociedade que gostaria de promover? Eu acho que não."

Ver também:

Shreys Finance Blog


terça-feira, 30 de junho de 2015

Ponto de situação na Grécia

Passados 5 a 6 meses da sua eleição, o governo de estrema esquerda de Alexis Tsipras alcançou as seguintes "vitórias":

1- O afundanço da economia acelerou;
2- Uma fuga de depósitos/capitais imprecedente em países desenvolvidos, acabando num "feriado" bancário de 1 semana (ver gráfico abaixo);
3- Controlo de capitais;
4- Provável "bail-in" com os depositantes na linha da frente para um "haircut" de mais de 40%;
5- Provável falência do estado esta semana se falhar o reembolso de 1600 milhões de euros ao FMI.

Eis o gráfico da fuga de depósitos/capitais (cortesia da Bloomberg.com):



DS

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Conferência de impressa da reunião do Eurogrupo

Dada a importância da reunião de hoje do Eurogrupo, pareceu-me pertinente partilhar o endereço da transmissão ao vivo da conferência de impressa dessa reunião:



DS

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Rien ne va plus

A Euronext acaba de anunciar que a negociação de produtos derivados retomará às 13h40 devida a uma "avaria técnica":



A minha interpretação é que alguém tentou ou está a tentar despachar uns milhões de títulos mas alguém não está a gostar e decidiu retirar essas ordens de venda malucas:

"When trading was halted, all orders other than GTC's were removed from these markets."

Mas preparem-se que dentro de alguns minutos o casino...perdão...a Euronext volta a abrir.

Faites vos jeux,

DS

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Correr atrás do prejuízo

Segundo a edição de hoje do jornal de negócios - que parece não saber a diferença entre depósito e fundo de investimento (pág. 26) - o governo vai abrir o capital das caixas económicas "de maior dimensão". 

Este novo regime visa atrair novos capitais para a Caixa Económica Montepio Geral, que é a maior caixa económica do país e aquela que gera maiores preocupações ao governo actualmente. 

Até agora permitiu-se que milhares de particulares sem a mínima formação financeira se constituíssem "associados" - na prática são mesmo accionistas - da Associação Mutualista Montepio Geral e agora tenta-se remediar o mal, abrindo o capital da sua Caixa Económica Montepio Geral a novos accionistas que não aos associados da Associação Mutualista Montepio Geral. Esta medida é positiva mas peca por ser muito tardia e correr atrás do prejuízo...

Finalmente quero dizer que este governo conseguiu fazer em 3 anos o que outros não fizeram em dezenas de anos. No entanto, na maior parte dois casos, o mal está feito e apenas poderá ser remediado como é o caso do Montepio Geral...

DS

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Rácio da dívida total vs PIB

Na minha última mensagem partilhei um estudo do McKinsey Global Institute (MGI) no qual se podia ver, entre outras coisas, a evolução e o balanço da dívida total relativamente ao PIB no final no 2º trimestre de 2014 para os países desenvolidos e a China e no final de 2013 para os outros países.

Considero este estudo muito pertinente pois ele foca-se na dívida total destes países, ou seja, a dívida de particulares, de empresas não financeiras e do estado. É uma análise muito mais abrangente do que aqueles que se focavam apenas na dívida governamental das nações. Eis novamente a tabela onde Portugal aparece em 4º lugar:



Tal como disse na minha mensagem anterior, os países que saltam à vista no quadro acima são o Japão e Portugal. Como refere o estudo, a Irlanda e Singapura são por questões fiscais a sede de grandes empresas multinacionais que operam em todo o mundo mas que se financiam apenas nesses países. Para além disso, Singapura é o 4º maior centro financeiro do mundo.

Comecemos então pelo Japão. Neste estudo podemos ver, por exemplo, porque o Japão se tem financiado tão facilmente: particulares e empresas não financeiras têm facilitado essa tarefa pois ainda mantêm um balanço saudável. Aqui o maior problema é o próprio estado que tem um rácio de dívida por PIB de 234%! Este é actualmente o melhor exemplo de como funciona a estratégia do faz de conta que alguns querem seguir. O país do Sol Nascente tem adoptado esta estratégia desde 1990 e os resultados estão à vista: há 25 anos que o Japão luta para sair da crise, que os seus bancos renovam dívidas de cobrança duvidosa de muitas empresas e que o estado tenta estimular a economia recorrendo cada vez mais à dívida...!

Já o nosso país à beira mar plantado, que não é sede de coisa alguma, que justificação tem para este nível absurdo de dívida total? O rácio da dívida pública vs PIB é de 148% enquanto que o rácio da dívida corporativa não-financeira é de 127% do PIB. Basicamente, tanto o estado como as empresas não-financeiras estão com níveis de dívida insustentável o que, se nada for feito para travar esta tendência, não deverá acabar bem...