sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Imposições de um banco central

Era uma vez um banco central que prometia impor um fundo de 1.2 ao euro (EUR) relativamente ao franco Suiço (CHF). Eis o comunicado em Setembro 2011:

"The current  massive overvaluation of the Swiss franc poses an acute threat to the Swiss economy and carries the risk of a deflationary development.

The Swiss National Bank (SNB) is therefore aiming for a substantial and sustained weakening of the Swiss franc. With immediate effect, it will no longer tolerate a EUR/CHF exchange rate below the minimum rate of CHF 1.20. The  SNB will enforce this minimum rate with the utmost determination and is prepared to buy foreign currency in unlimited quantities.
"

Traduzido para Português:

"
A atual sobrevalorização maciça do franco Suíço representa uma forte ameaça para a economia Suíça com o risco acrescido de um desenvolvimento deflacionário.

O Banco Nacional Suíço (BNS)
aponta portanto para um enfraquecimento substancial e sustentado do franco Suíço. Com efeito imediato, o SNB não irá tolerar uma taxa de câmbio EUR / CHF abaixo da taxa mínima de CHF 1,20. O SNB irá impor esta taxa mínima com a maior determinação e está preparado para comprar moeda estrangeira em quantidades ilimitadas."

Infelizmente para os fãs incondicionais do SNB, a bomba explodiu ontem:

"The Swiss National Bank (SNB) is discontinuing the minimum exchange rate of CHF 1.20 per euro"

E o resultado foi este:


​Aparentemente as compras de moeda estrangeira em quantidades "ilimitadas" viriam a revelar-se mais limitadas e quiça custosas (60 mil milhões de CHF?) do que o SNB teria estimado. 


Resta agora saber de quem será a próxima queda...

Ver também:

 The Swiss franc is out of control

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Ataque de terror em Paris

Quem quiser/puder seguir em directo o desenrolar destas múltiplas crises de terror em Paris, iniciadas após o tiroteio nas instalações do jornal semenário Charlie Hebdo pode fazê atravês do seguinte link do canal de televisão France24:



DS

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Mais um exemplo do mau serviço do estado

Um homem de 57 anos faleceu ontem depois de ter estado 5 horas e meia à espera de ser atendido no centro hospitalar de Santa Maria da Feira.

Há décadas que este é o tipo de serviço que o SNS presta aos cidadãos desta República das bananas.

É por isso que o estado tem de se restringir ao que é absolutamente essencial:

- Defesa;
- Segurança;
- Justiça;
- Educação;
- Infraestruturas.

Se o estado conseguisse intervir com sucesso nestas 5 áreas não seríamos uma República das bananas mas, para já, o estado apenas teve sucesso nas infraestruturas e com recursos de terceiros (dívida)...

Ver também:

"O meu irmão morreu porque não foi socorrido a tempo pelo hospital"

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Qual é a empresa, qual é ela...

...cujos trabalhadores têm 12 (DOZE) sindicatos e fazem constantemente greve, cujos resultados são, na maioria das vezes, negativos?

Qual é a empresa, qual é ela que "pertence" ao estado que a quer privatizar pois está cansado de ter de injectar o nosso - dos contribuintes - dinheiro para acabar com as inúmeras mordomias de pilotos e tripulações mas não tem conseguido pois cada vez que tenta chovem logo paletas de greves??

Resposta: TAP

No início do mês tive a "necessidade" de viajar nesta companhia e a experiência foi medíocre: para um voo 4 vezes mais caro que um "low cost", tive direito a um atraso de quase 1 hora no voo de ida por causa de mais uma greve. Não admira por isso que, apesar do avião ser muito pequeno (Embraer 145), ele não ia cheio...


DS



quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Cigarros eletrónicos dez vezes mais cancerígenos

Os cigarros eletrónicos contêm até dez vezes mais agentes cancerígenos do que o tabaco convencional, de acordo com uma investigação levada a cabo por uma equipa de cientistas japoneses, revelada hoje.

Caros, é esse o mundo em que vivemos: primeiro lançam-se os produtos e depois é que se estudam eventuais malefícios para a saúde dos consumidores.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Análise à dinâmica dos COT

Antes demais quero salientar que a análise que se segue se baseia num histórico dos COT (Commitment Of Traders) de apenas 441 semanas, ou seja, desde 13 de Junho 2006. Foi a partir dessa altura que a CFTC (Commodity Futures Trading Commission) alterou a metodologia de categorização dos participantes "reportáveis" para "Dealer/Intermediary", "Asset Manager/Institutional", "Leveraged Funds" e "Other Reportables".

Se tal for possível, pretendo converter os dados anteriores a 13 de Junho 2006 para a actual metodologia aumentando assim a amostra estatística e a previsibilidade. No entanto, tal tarefa requer tempo de que não disponho actualmente.

Posto isso e excluindo a melhor e a pior performance para não haver eventuais distorções, a dinâmica reportada nos COT até ao passado dia 18 de Novembro "inplica" uma correcção de 11% nos próximos 90 dias no S&P 500 a partir do fecho desse mesmo dia, ou seja, uma queda para os 1826 USD.

Votos de bons investimentos,

DS