terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Bom ano novo!

Aos leitores do blog quero deixar os meus votos de boa entrada no ano novo e que 2014 seja pelo menos tão bom e, de preferência, melhor do que este ano.

Relativamente aos mercados, não há muito mais a dizer do que o último - ou o mais tolo - que apague a luz pois quando estes perceberem que imprimir dinheiro nunca resolveu crise alguma, as portas serão pequenas para tanto papel...

DS

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Blackstone e Codere

No "The daily show" do dia 4, Amantha Abelha investiga os negócios obscuros mas totalmente legais de uma empresa de "private equity", a Blackstone. 

Depois de comprar CDS's (Credit Default Swaps) sobre a Codere, a Blackstone emprestou 100 milhões de dólares a esta empresa Espanhola para que esta última pague um empréstimo que devia a uma terceira entidade. No entanto, uma das condições para o empréstimo era que a Codere paguasse esse empréstimo com atraso, fazendo assim valer os CDS's e arrecadando aproximadamente 15 milhões de dolares: 


Ver também:

Blackstone Unit wins in no lose Codere Trade

DS

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

A piada da semana

Como disse Albert Einstein, "A diferença entre a genialidade e a estupidez é que a genialidade tem limites".



Depois do fiasco da lei "Obamacare" e sobretudo do respectivo site healthcare.give-it-out healthcare.gov (ver imagem em cima, capturada há pouco), o presidente dos EUA Barack Obama decidiu, em jeito de desespero, lançar mais uma "medida" a ver se a sua popularidade para de se afundar. Apresento-vos a última "medida" de Obama: "Raise The Wage":


Porque não fazer o mesmo em Portugal perguntam? Assim seria fácil ao governo por a economia de novo a funcionar, certo? Errado porque, no médio e longo prazo, as forças de mercado não são manipuláveis: aumentar actualmente o salário mínimo teria automaticamente as seguintes consequências:
  1. Aumento do desemprego;
  2. Aumento do trabalho temporário e precaridade;
Noutra altura, com uma economia forte, poderíamos não ter as consequências acima descritas mas teríamos certamente um aumento da inflação, ou seja, o ganho de poder de compra seria nulo. Alias, como se pode ver no gráfico abaixo, o próprio governo Americano sabe isso pois apesar de sucessivas subidas no valor nominal do salário mínimo, o valor real (ajustado à inflação) deste tem vindo a descer desde 1968 (cortesia da Gallup):


Votos de um bom fim-de-semana,

 DS

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

O processo de ajustamento não pode ser impedido

Thorstein Polleit avisa que o processo de ajustamento do "boom" de crédito dos últimos anos não pode ser impedido: este pode ser adiado com as taxas de juros mais baixas e aumento da massa monetária, mas não poderá ser impedido.

No médio prazo, não há nenhuma maneira de evitar uma correção em massa, juntamente com cortes da dívida e 
deflação. Quanto mais tempo adiar este processo, mais destructivo será o seu efeito...

Ver também (em Alemão):

Euro krise Draghi schanzt krisenlaendern billige kredite zu seite all

Votos de um bom fim-de-semana,

DS

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Robert Shiller na CNBC

Robert Shiller cedeu ontem uma entrevista à CNBC da qual destaco as seguintes partes. Sobre o mercado imobiliário:

"Agora as pessoas estão mais preocupadas com todos problemas no congresso e o facto da Fannie e a Freddy estarem a levantar o mercado imobiliário e que depois iremos receber as contas no congresso para as resgatar..."

E sobre o mercado de acções:

"Parece que estamos um pouco borbulhantes no mercado de acções, ... o meu racio CAPE (1) está nos 25, o que é bastante alto ... se continuar a subir assim, o retorno esperado no mercado de acções vai cair abaixo da rentabilidade esperada nas TIPS (2)..."

Eis o vídeo:




(1) - Racio de Preços vs Lucros corrigidos de variações cíclicas
(2) - Obrigações do Tesouro de Taxa Variável

DS

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

O código oculto

Este é O VÍDEO que expõe o actual modo de funcionamento do mercado. Durante os 50 minutos do vídeo somos transportados para um mundo à parte, um mundo de algorítmos construídos em linguagens de programação invulgares ou desconhecidas até para mim que estou nas TI desde 1992.

Depois de ver o vídeo na íntegra (acreditem que vale a pena), torna-se muito mais fácil perceber porque os mercados estão tão desfasados dos fundamentais económicos: os algorítmos de HFT (High Frequency Trading) não percebem nada nem querem saber dos fundamentais económicos. Estes algos - como são conhecidos no mundo financeiro - só querem saber da "estrutura" do mercado, ou seja, de que lado está a tendência intradiária. Depois de perceberem isso, mandam as suas ordens para os 1º lugares da fila exarcerbando assim as oscilações intradiárias.

Eis o vídeo:



DS

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Licenças de construção

O gráfico abaixo mostra a evolução das novas licenças de construção em Portugal, Espanha, Irlanda e Grécia desde o rebentamento da bolha do crédito em 2007/2008:


Desde o início da crise, a razia nos sectores da construção desses países tem sido avassaladora. Ainda sobra a recuperação de casas e edifícios existentes mas isso nunca será suficiente para cobrir mais de 1/3 da actividade anterior.

Mas não é só no sector da construção que tem sofrido pois, por exemplo, como se pode prever pelo gráfico abaxio (do BCP), a correlação entre as licenças de construção e a cotações dos bancos será certamente elevada:



DS


sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Gráfico do ano

Apeaar de o ano de 2013 ainda não ter acabado, estou certo que este será o gráfico mais importante do ano. É da autoria de Robert J. Shiller, um dos vencedores do Prémio Nobel da economia este ano, e autor do livro "Irrational Exuberance".

Basicamente, o "Cyclically Adjusted Price Earnings Ratio" (CAPE) é calculado dividindo o preço real do S&P 500 pela média dos ganhos (earnings) reais dos últimos 10 anos das empresas que compõem o índice. Shiller usa preços e ganhos reais pois só assim podemos comparar o valor do CAPE do S&P 500 em 1980 com o valor do CAPE do S&P 500 em 2012. Para isso, Shiller usa o CPI. Eis o gráfico:



Olhando para o gráfico, eis 3 factos INABALÁVEIS relativamente aos 3 bear markets anteriores:

1. A média do mínimo CAPE atingido foi de 6.64;
2. A duração média foi de 230 meses, ou seja, 19 anos e 2 meses.

No entanto, relativamente ao actual bear market:

1. O mínimo CAPE atingido foi de 13.32 em Março de 2009, ainda 100% acima dos 6.64 médios observados anteriormente;
2. A sua duração, que será de 166  meses (13 anos e 10 meses) no final do actual mês de Outubro, perfaz apenas 72% da duração média.

Concluíndo, tanto no preço como no tempo, o actual bear market ainda não chegou a nenhuma das 2 médias dos 3 anteriores bear markets pelo que dificilmente se ficará por aqui.

Votos de um excelente fim-de-semana,

DS

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Como bater o S&P500?

Um recente estudo do Goldman Sachs (GS) demonstra que, em média e nos últimos 7 anos (desde 2006), apenas 36% dos fundos conseguiram bater o S&P 500. Alias, ainda segundo o GS, essa é também a média dos últimos 10 anos.

Ou seja, quem investe em fundos mobiliários tem uma probabilidade de 64% em obter um desempenho abaixo do S&P 500. E quando falamos de desempenho abaixo, falamos de desempenhos positivos inferiorres e/ou desempenhos negativos maiores.Eis o gráfico com a percentagem de fundos que bateram o S&P 500 desde 2006:


Assim, na minha opinião, as melhores opções para o investidor particular são:

1. Para quem já é experiente e sabe exactamente o que está a fazer: investir por conta própria e risco em empresas com bons fundamentais;
2. Para quem ainda é pouco experiente: investir num fundo mobiliário com provas dadas (rentabilidades passadas, rating, etc..);
3. Para quem é inexperiente: investir em depósitos a prazo pois dificilemente irá bater o S&P 500.

Boas escolhas,

DS

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Jim Rogers: os EUA são excepcionais...

...pois têm a maior dívida do mundo!

Alguns destaques:

"No EUA, temos vindo a chutar a lata pela estrada abaixo há 16 anos..."

"Eventualmente o mercado irá dizer: não queremos continuar a jogar este jogo"

Eis a mais recente entrevista de Jim Rogers à RT:

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Não adianta ralhar

"Em casa sem pão toda a gente ralha e ninguém tem razão".

O monstro - o estado - caiu e não se consegue levantar! E a queda foi brutal pois estavam habituados a grandes mordomias. Senão vejamos:

1. Regimes especiais de segurança social (CGA,...) com reformas principescas e, na sua maioria, antecipadas em muitos anos por "doença", "incapacidade" ou qualquer outra desculpa que servisse na altura, com brutais défices anuais pagos pelos contribuintes: segundo a própria CGA, o défice no final de 2012 era de 4300 milhões de euros;
2. Regimes especiais de saúde (ADSE,...), também estes com défices anuais pagos pelos contribuintes: segundo o Diário Económico, em 2011 a ADSE teve um défice de 839 milhões de euros (ainda não consegui obter dados relativamente a 2012);
3. 35 horas de trabalho semanais e tolerâncias de ponto que resultavam na maioria dos casos em 30 dias de férias por ano;
4. Segundo um estudo do Banco de Portugal de 2011, salários, em média, 36% acima do sector privado;
5. Ausência de qualquer tipo de avaliação do seu trabalho, o que contribuia para uma reduzida produtividade e até motivação.

Podia continuar mas penso que é o suficiente para se perceber o que irei dizer a seguir: agora chegou a conta - astronómica - e é preciso pagá-la pois, caso contrário, não haverá dinheiro para pagar salários no estado. Esta é a fria realidade em que o país se encontra. Alguns poderão argumentar que podemos sempre repudiar a dívida mas para isso teria de haver capacidade financeira para aguentar o país sem recorrer aos mercados durante largos anos...

Este ajustamento foi o caminho que previ em 2011 depois do governo socialista pedir um resgate à união Europeia. Na vida temos de tomar opções e não há almoços grátis pelo que a opulência do passado será paga pela miséria do futuro...

Ver também:

Caixa Geral de Aposentações com buraco de 4,3 mil milhões

A ADSE, os números e a realidade

Atentamente,

DS

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Hometown Glory

"Hometown Glory" é uma das inúmeras incríveis músicas de Adele e acontece que a sua letra é hoje mais actual do que seria de imaginar na altura do lançamento da música, em 2009:

"I've been walking in the same way as I did
And missing out the cracks in the pavement
And tutting my heel and strutting my feet
"Is there anything I can do for you dear? Is there anyone I could call?
No, and thank you, please madam, I ain't lost, just wandering"

Round my hometown, memories are fresh
Round my hometown, ooh, the people I've met
Are the wonders of my world, are the wonders of my world
Are the wonders of this world, are the wonders and now

I like it in the city when the air is so thick and opaque
I love it to see everybody in short skirts, shorts and shades
I like it in the city when two worlds collide

You get the people and the government
Everybody taking different sides


Shows that we ain't gonna stand shit
Shows that we are united
Shows that we ain't gonna take it
Shows that we ain't gonna stand shit
Shows that we are united


Round my hometown, memories are fresh
Round my hometown, ooh, the people I've met

Are the wonders of my world, are the wonders of my world
Are the wonders of this world, are the wonders of my world
Of my world, yeah, of my world, of my world, yeah
"

17 anos depois, o governo dos EUA vê-se confrontado com o fecho parcial das suas operações pois não houve consenso entre a Câmara dos Representantes (controlado pelos Republicanos) e o Senado (controlado pelos Democratas) sobre a "Obamacare", a lei que visa alterar profundamente o envolvimento do governo federal na área da saúde, forçando a maioria da população a adquirir um seguro de saúde e ajudar quem não pode através de créditos fiscais ou programas como o Medicaid.

Eis o video da música:

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Peter Boockvar na CNBC

Eis um vídeo (em inglês) com Peter Boockvar a explicar porque não há nenhuma chance de isto (a manipulação levada a cabo pela FED) acabar bem:



DS

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Estreia imperdível

"Money for nothing: Inside the Federal Reserve" é sem dúvida um filme/documentário a não perder. Ainda não sei quando e se irá estrear em Portugal (se alguém souber por favor comente) mas, de qualquer forma, eis o "trailer":



Ver tmabém:
Money for Nothing

Votos de uma excelente semana,

DS

2670 euros?

Quero desde já esclarecer que não tenho nada contra a função pública mas sou totalmente a favor de uma sociedade justa e equilibrada. Isso é uma das coisas de que o país precisa "como de pão para a boca".

Este fim-de-semana o jornal Expresso traz exemplos reais de como o corte das pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA) irá afectar os seus actuais pensionistas. Um dos exemplos era de uma ex-professora primária e que, ao fim de apenas 35 anos de serviço, aufere de uns principescos 2670€! Outro exemplo era de um ex-jardineiro que recebia uns míseros 548€...

No sector privado, só chegam a estes valores (acima dos 2500€) quadros superiores e, excepcionalmente, alguns quadros médios que por qualquer motivo se destacaram durante a sua carreira. E só depois de 40 anos de desconto!

Por isso tenho compaixão pelo ex-jardineiro que irá certamente precisar dos 48€ que irá receber a menos mas nada mais...

Atentamente,

DS

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Dia de decisões na FED

Hoje é dia de decisões na reserva federal Americana (FED). A FED deverá dizer quais os montantes das reduções nas compras de dívida hipotecária e pública e eventualmente qual a respectiva calendarização. Parece-me improvável que a FED não mencione já os montantes das reduções mais imediatas pois isso seria defraudar as expectativas dos investidores/especuladores, algo que a FED procura gerir com muito cuidado.

Mas os investidores/especuladores estão a ficar nervosos e têm razões para isso pois estamos em território nunca antes navegado: esta é a 1° vez que a FED tenta encurralar um dos maiores mercados do mundo - o da dívida pública Americana - e será também a 1° vez que irá tentar voltar a deixar funcionar a lei da oferta e da procura. É caso para dizer que está tudo à espera do ovo no c... da galinha...

Actualização: aparentemente os especialistas esperam uma redução de 10 mil milhões nas compras de obrigações do tesouro e, no máximo, de 5 mil milhões nas compras de MBS (Mortgage-Backed Securities).

Atentamente,

DS

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Análise técnica do BES

O Banco Espírito Santo (BES) tem seguido uma tendência descendente desde 2007. No entanto, ultimamente têm surgido alguns factores positivos:
  1. Quebrou a tendência descendente no final de 2012;
  2. Regista-se uma divergência bullish no início de 2012
  3. Houve um notável aumento do volume, logo do interesse.
No entanto as boas notícias acabam aqui. Vamos agora aos factores negativos:
  1. Falso breakout em alta dos 1,04€ em Janeiro;
  2. No passado mês de Agosto, o BES não conseguiu fechar acima do gap entre os 0,89€ e 0,91€, reagindo mal; 
Finalmente, existiu uma cunha descendente de Dezembro 2012 a Junho 2013 mas penso que já terá atingido o seu objectivo.

Assim sendo, se o BES não conseguir fechar acima do intervalo 0.91-1,04€, penso que deverá voltar a testar os 0,44€. Resistência e suporte de curto prazo: 0,55€ e 0,91€. Alias, é natural que depois de uma tendência descendente tão marcante o BES passe para uma lateralização antes de iniciar uma nova tendência. Eis o gráfico do BES (cortesia do Financial Times):

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

A tempestade já começou

Nas ultimas semanas o foco dos mercados têm sido a rupia Indiana (INR), a lira Turca (TRY) e o real Brasileiro (BRL) que têm feito novo mínimos quase todas as semanas. Eis os gráfico do câmbio do dólar Americano contra essas 3 moedas (cortesia da Bloomberg):





Todas elas têm sofrido bastante desde que a Fed ameaçou abrandar a manipulação das suas taxas de juro as compras de obrigações do tesouro e imobiliária. Como sempre o mercado já está a descontar esse movimento por parte da FED...

Quanto aos mercados de acções desses 3 países, apenas o Indiano se tem aguentado pois tanto o Turco como o Brasileiro caiem aproximdamente 30% desde os máximos de Maio:





Atentamente,

DS

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Parabéns!

Como o tempo voa: faz hoje 6 anos que comecei a escrever aqui no blog Dax Speculator. Durante esse tempo tivemos direito a um ciclo de correctivo (2007 a 2009) e a outro impulsivo (2009 até ao momento) nos mercados. Estou convicto que nos próximos 6 anos teremos novamente os 2 ciclos: 1º o ciclo de correctivo e depois um ciclo impulsivo.

Não sei se continuarei a escrever ao mesmo ritmo no blog pois o tempo é cada vez mais escasso mas estou certo que continuarei a ser imparcial, pro-activo e que procurarei sempre temas enriquecedores e nunca triviais.

PARABÉNS DAX SPECULATOR!

Muito obrigado pela vossa companhia,

DS

As auto-estradas fantasma em Portugal

O Financial Times (FT) publicou recentemente uma reportagem sobre as auto-estradas Portuguesas. Segundo o FT, o tráfego rodoviário Português terá caido 50% em 2012 e uns impressionantes 68% no 1 º trimestre de 2013!

Isso não só expõe o aprofundamento da actual depressão em Portugal mas também as massivas e sucessivas mis-alocações de capital por via de uma excessivo foco nas auto-estradas em detrimento das ferrovias.

Ainda segundo o FT, Portugal tem 4 vezes mais estradas per capita do que a Grã-Bretanha e 60% ​​mais do que a Alemanha e há pelo menos 9 auto-estradas que estão abaixo dos 10.000 a 12.000 veículos por dia mínimos exigidos para que o investimento seja rentável.

Parece que a doutrina Keynesiana e os seus discípulos tugas fizeram mossa da grossa neste cantinho à beira mar plantado.

Eis o vídeo:




Ver também:

Driving On Portugal's Ghost Roads: Traffic Crashes By 68% In First Quarter
Sobretaxa para as PPP

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Institucionais cada vez mais bearish

Os institucionais do COT aproveitaram as últimas 4 semanas para venderem mais de 27 mil contratos líquidos (vendas menos compras) sobre o S&P 500.

Isso não quer dizer que o S&P 500 vai cair já amanhã mas é um sinal de que o mercado está a ficar nervoso com as subidas das taxas de juro das obrigações do tesouro Americanas...

Atentamente,

E. Antunes

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Matemáticas A e B?

Hoje vou abordar outro tema "off-topic": o ensino da matemática em Portugal. O minitério da educação faz de tudo para tentar melhorar os resultados desta disciplina.

Aparentemente, em 2010, resolveram dividir as matemáticas por 2 e assim nasceram as matemáticas A e B.

No entanto, os resultado não têm sido os esperados: desde 2010, na matemática A (destinada às áreas de ciências) as médias têm rondado os 8.3 e na matemática B têm vindo sempre a descer de 7.9 em 2010 para 6 este ano.

Este é obviamente um completo falhanço da gestão do ministério da educação nos últimos anos. Não se trata de política pois até considero o actual ministro da educação competente. Trata-se do falhanço de uma política de facilitismo que existe e persiste há demasiado tempo. Para que os resultados apareçam é preciso disciplina, exigência e por último recompensa.

Atentamente,

DS

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Praia depois do meio-dia

Estando eu de férias na praia de Moledo (concelho de Caminha), resolvi trazer um tema de verão para hoje. Eis 2 factos:

1. Durante a minha estadia conheci um enfermeira e, no meio de muitas conversas, soube que os casos de cancros da pele têm vindo a aumentar a um ritmo assustador.

2. Por outro lado tenho assistido diariamente a pessoas - incluindo casais com filhos - a chegarem à praia ao meio-dia.

Agora, das duas uma, ou acreditam em coincidências ou então podem facilmente tirar as vossas conclusões...

Votos de umas boas férias,

DS

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Mais um Chipre

Pois é, eis que passados apenas alguns meses e muitas promessas por parte dos políticos e bancos centrais aparece outro Chipre: nada mais nada menos do que a outrora poderosa Detroit e a sua "pequena" dívida de 18 mil milhões de dólares.

Esta é apenas a primeira de muitas falências que virão pois, contrariamente a muitos "sábios", não vejo em que aspectos é que os EUA têm "uma camisa mais limpa" do que, por exemplo, a Itália. Como já referi várias vezes aqui, lá porque conseguem imprimir mais notas do que o país da pizza, isso não significa que irão conseguir pagar o que devem...

Votos de um bom fim-de-semana,

DS

sexta-feira, 12 de julho de 2013

"Faités vos jeux!"

Na passada 4ª feira, o croupier Ben Bang-Bernanke (BBB) "disse" ao casino mercado que é tempo de continuar a apostar investir pois ele acredita que não irá perder o controlo da coisa. E, como seria de esperar, os mercados acreditaram: o Nasdaq Composite está já a uns meros 22 pontos do meu target, os 3600.
 
No entanto, o mercado da dívida parece estar com sérias dúvidas pois as taxas para o mercado imobiliário estão muito acima do que estavam antes do discurso do "tapanço" (gráfico cortesia do Business Insider):

 
 
A questão para os mercados accionistas é quando é que BBB dirá o "rien de va plus!". Tudo indica que deverá ser em Setembro...
 
Ver também:
 

Atentamente,

DS

domingo, 7 de julho de 2013

Cenas tristes

Como ainda não tive oportunidade de comentar os recentes acontecimentos na política tuga irei fazê-lo agora.

É lamentável o baixo nível a que chegou a política tuga: as novelas Mexicanas tinham mais piada que estas novelas do PPD-PSD contra CDS-PP. Estes últimos episódios custarão certamente muitos votos às 2 forças políticas.

Quem irá ganhar com isso será a esquerda que parece cada vez mais inclinada para a "solução" da bancarrota...

Votos de um bom fim-de-semana,

DS

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Mais uma pernita?

Com o desenrolar da sessão de ontem, tudo indica que os mercados quererão fazer mais uma pernita para cima até à zona dos 3600 no Nasdaq Composite (actualmente nos 3447), ou seja, uma subida de aproximadamente 4%.
 
Muito sinceramente, depois dos 3600 estou convicto que será difícil progredir até porque os colegas de Ben Bang-Bernanke já começam a ficar impacientes de tanto imprimir dólares e de tão pouco de bom acontecer na economia. De qualquer forma, ninguém sabe com que ideias mirabolantes virá seu o(a) sucessor(a) pelo que é melhor esperar para ver...
 
Votos de um bom fim-de-semana,
 
DS

quarta-feira, 3 de julho de 2013

O inferno tuga continua

Depois dos recentes acontecimentos políticos, a taxa das obrigações do "tesouro" já dispara para os 8%, uma subida de mais de 50% desde meados do mês de Maio:


 
A falida ilíquida banca nacional tomba em média 10% mas o Banif - que pertence a outra categoria - tomba agora "apenas" 15% mas já esteve a mergulhar 43% na abertura. Perante estes previsíveis - pelo menos para mim - acontecimentos, estou curioso para ler os bitaites recomendações daqueles especialistas que recomendaram comprar as ditas obrigações nacionais porque a taxa de 5 ou 6% era muito apetecível...

DS
 
 
 
 

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Já não tenho mais Ouro

Já não tenho Ouro para vender pois como disse em Dezembro ano passado, liquidei todas as minhas posições longas no metal precioso nesse mês. Estas últimas posições deram-me um especial prazer pois eram posições físicas: Ouro físico que tinha acumulado ao longo da minha juventude a preços 4 ou 5 vezes inferior ao preço de venda.
 
Também recomendei pessoa(s) muito chegada(s)  a liquidarem posições físicas neste activo pois percebi que estávamos perante uma oportunidade de uma vida. Julgo que não iremos ver o Ouro aos preços do ano passado e do início deste ano - por volta dos 1800 USD/onça - tão cedo pois as taxas de juro começam a querer descolar e sair da zona de rentabilidades reais negativas e, claro, o Ouro reage muito mal a isto (gráfico cortesia da FRED):
 

 
Foram várias as recomendações aqui no blog para se ter cuidado com este activo: é um activo que não rende nada, ou seja, não tem qualquer taxa de juro ou dividendo associado e está muito mais sujeito a modas e elevadas volatilidades do que os activos que têm uma rentabilidade mínima associada.
 
Assim, como investimento, só tem interesse nas seguintes situações:
 
1. Taxas de juro com rentabilidade reais negativas;
2. Crises de confiança na moeda com estatuto de reserva mundial (actualmente o dólar Americano); 
3- Guerras mundiais? 
 
 
Ver também:
 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Mercados consolidam ganhos

Os mercados estão a consolidar os ganhos dos recentes dias. É possível que os índices bolsistas voltem lá em baixo testar os mínimos nos próximos dias: no Nasdaq Composite, poderemos ir testar novamente a zona dos 3000.
 
Entretanto, em termos fundamentais ficamos ontem a saber que o PIB Americano terá crescido 1.8% em termos homólogos no 1º trimestre, surpreendendo assim pela negativa. O consumo público terá sido o principal responsável, descendo a sua contribuição de 19.7% para 18.9% do PIB, uma queda de 4%.
 
Amanhã teremos o valor final relativamente ao mês de Junho do Indice de Confiança do Consumidor da Universidade de Michigan e da Thomson Reuters.
 
Votos de um bom fim-de-semana,
 
DS

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Oops

Os mercados começam a perceber que Ben-Bang não irá conseguir encurralar o mercado de dívida Americano e, por isso, faz o que costuma fazer historicamente e vira-se contra quem está a tentar encurralá-lo: a taxa das obrigações do tesouro Americano a 5 anos, por exemplo, sobe mais de 19% esta semana e 90% desde o início do passado mês de Maio...!

Os traders esses parecem algo surpreendidos com os recentes desenvolvimentos:



quarta-feira, 19 de junho de 2013

O que descontam os mercados?

Depois de analisar os gráficos dos activos cujos principais intervenientes estão melhor preparados para descontar as intervenções da Fed, ou seja, os futuros das obrigações do tesouro Americano a 10 anos e os "primary dealers" - os principais bancos que operam com a Fed - tais como o JP Morgan Chase e o Goldman Sachs, tudo indica que haverá mais palavreado a indiciar uma redução das compras de dívida por parte da FED.

A ver vamos mas de qualquer forma quanto mais tarde a Fed começar a reduzir os montantes das suas compras pior será a reacção dos mercados...

Atentamente,

DS

Decisão da Fed hoje

Apesar da reunião da FOMC (Federal Open Market Commitee) nas instalações da Fed ter começado ontem, as decisões só serão conhecidas hoje (1). Isto para quem não tem acesso a canais privilegiados...

Na minha opinião, a Fed tentará outra linguagem para dizer o mesmo: a palavra "tapering" é capaz de não voltar a aparecer. Talvez apareça a palavra "splay" (afunilar), quem sabe?

(1) -  Por lapso, na minha mensagem anterior disse que a Fed já teria comunicado as suas decisões ontem.

Atentamente,

DS

terça-feira, 18 de junho de 2013

Fed com ou sem "tampa"?

Hoje é dia de decisões na reserva federal Americana. Provavelmente já decidiram que o melhor é ir "tapando" algumas compras pois, caso contrário, vão acabar por financiar a totalidade da dívida de todos os estados; algo que não deve agradar aos estados mais conservadores como, por exemplo, o Texas ou o Kansas.

O problema parece ser como comunicar isso e, mais importante, qual será a reacção dos mercados...?

Atentamente,

DS

terça-feira, 11 de junho de 2013

Mercados já corrigiram?

Depois de analisar a sessão de hoje, a conclusão é que os mercados poderão continuar a subir nas próximas semanas.

Embora isso não faça qualquer sentido do ponto de vista da análise fundamental pois o ambiente macro-económico continua a deteriorar-se, faz todo o sentido do ponto de vista técnico.

Assim, o meu objectivo para o Nasdaq Composite mudou para a zona dos 3600...

Atentamente,

DS

sexta-feira, 7 de junho de 2013

A frase da semana

O presidente da reserva federal de Dallas, Richard Fisher, disse após um discurso em Toronto:

"Nós não podemos viver com medo de que o mercado - marcado pela nossa política - fique infeliz se não lhe dermos mais cocaína monetária".

Para quem sabe ler nas entrelinhas, é óbvio que Richard Fisher está a mandar recados para aqueles membros da FOMC (Federal Open Market Committee) que terão receio da reacção dos mercados (Fisher não faz parte da FOMC este ano) QUANDO a FED reduzir os montantes das suas compras de dívida federal e hipotecária...

Atentamente,

DS

Algumas leituras

Eis as leituras que recomendo para hoje, todas na lingua de Shakespeare:
E a anedota do dia só podia estar na lingua de Camões:

Gaspar diz que mau tempo prejudicou investimento

Cumpriimentos,

DS




quarta-feira, 5 de junho de 2013

Sobre os mercados

Visto que não falo sobre os mercados há já alguns dias, queria deixar um breve comentário relativamente aos últimos desenvolvimentos.

Estamos provavelmente perante uma onda w4 da última onda (W5) deste rally. Estas ondas w4 costumam corrigir entre os 50% e 61.8% da onda anterior, a w3. Ou seja, para o Nasdaq Composite teremos uma correcção até á zona entre os 3172 e 3241.

Atentamente,

DS

Europa e China em guerra comercial

Depois da União Europeia (UE) ter finalmente anunciado que irá impor taxas aduaneiras para as cerâmicas e paineis solares chineses, a China prepara-se para fazer o mesmo aos vinhos Europeus.

Digo finalmente porque há já muito tempo que defendo um travão à concorrência desleal dos produtos Chineses na Europa. Isto para não falar nos riscos para a saúde pública. É caso para dizer que "mais vale tarde do que nunca...".
 
Está aberta a guerra comercial entre a Europe e a China. No entanto esta é uma guerra perdida à partida para a China pois a balança comercial é-lhe desfavorável. Segundo a Reuters a UE é o mais importante parceiro comercial da China, enquanto que para a União Europeia, a China perde para os Estados Unidos da America. As exportações de produtos chineses para o bloco de 27 países Europeus somaram 290 mil milhões de euros no ano passado enquanto que apenas 144 mil milhões de euros foram para o outro lado.
 
Ver também:
 
 
DS
 
 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Gráfico da semana

Dados os últimos desenvolvimentos nos mercados de dívida Japonesa e Americanos, achei interessante mostrar o que aconteceu em 1956-1957 (*) quando a taxa de juro das obrigações do tesouro Americano subiram mais de 40% (os valores no gráfico são médias mensais): o S&P 500 caiu 18% nos meses seguintes. Eis o gráfico:
 

 
(*) -  Considerei esse período pois é aquele para o qual tenho ambos os dados (Yield a 10 anos e S&P 500) o mais semelhante à atual situação.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

FED a carregar no travão?


Nem de propósito: a FED deve andar a rondar por aqui pelo blog pois anunciou hoje que poderá reduzir as compras de MBS's e obrigações do tesouro já no próximo mês de Junho se os dados económicos recebidos até lá mostrarem um crescimento suficiente forte e sustentado:

"...A number of participants expressed willingness to adjust the flow of purchases downward as early as the June meeting if the economic information received by that time showed evidence of sufficiently strong and sustained growth..."

"...a few participants expressed concern that conditions in certain U.S. financial markets were becoming too buoyant, pointing to the elevated issuance of bonds by lower-credit-quality firms or of bonds with fewer restrictions on collateral and payment terms (socalled covenant-lite bonds)..."

Como era mais do que esperado, o mercado não gostou nada:


DS

É possível encurralar um mercado?

A história está repleta de casos de tentativas de encurralar um determinado mercado ou até uma determinada acção em particular mas estas acabaram sempre por fracassar. Eis as mais recentes:

  • Em Julho de 2010, o fundo de risco "Armajaro" tentou encurralar o mercado de cacau. Resultado: as cotações subiram aproximadamente 20% até ao final do mês de Fevereiro de 2011 mas tiveram um colapso de quase 50% nos meses seguintes;
  • Em Outubro de 2008, a Porsche tentou controlar a totalidade do capital da Volkswagen  encurralando as suas acções mas deu-se mal pois o esquema só durou uns dias e o seu director geral acabaria por se demitir;
  • A partir da primavera de 1993, o Sr. Yasuo Hamanakada da Sumitomo tentou encurralar o mercado do cobre, conseguindo controlar 5% deste. Teve até a ajuda da Merril Lynch que, através de um director, abriu uma conta com uma linha de crédito de 500 milhões de dólares para a Global Minerals and Metals e a sua holding, a Sumitomo. No entanto, o esquema só funcionou até Janeiro de 1995. Depois disso, o preço do cobre colapsou 60%.
  • Em 1979, os irmãos Hunt (Nelson Bunker Hunt e William Herbert Hunt) tentaram também eles encurralar o mercado mundial da prata, chegando a controlar os direitos de mais de metade da oferta mundial de prata. O preço da prata subiu então de 11 USD em Setembro de 1979 para quase 50 USD a onça em Janeiro de 1980. Mais uma vez, 2 meses depois (em Março de 1980) os preços colapsaram novamente para o nível de 11 USD a onça devido a mudanças mas regras de compra de matérias primas com contas margens.
Será que a FED conseguirá um resultado diferente? Sinceramente não me parece...
Cumprimentos,

DS

Como definir as acções da FED?

Há quem defenda que a FED tem agido como um qualquer interveniente (Krugman & Cia?); outros defendem que a FED está a manipular o mercado de dívida Americano.

Eu sou da opinião que a FED está a tentar encurralar o mercado de obrigações do tesouro Americano. No entanto, o problema que a FED enfrenta é que muitos poucos ou mesmo ninguém conseguiu fazê-lo em mercados muito menos importantes do que este (tais como a prata, o cobre ou até o cacau) pelo que, apesar de muito poderosa, esta será uma tarefa muito difícil para a FED.

Ultimamente, têm moderado o discurso. Pode ser que percebam a tempo que encurralar um mercado desta envergadura é algo que nunca ninguém consegui! Alias, alguns começam a perceber que as acções da FED são muito perigosas: eis as últimas declarações do presidente do banco central Sul-Coreano:

BOK KIM SAYS WORLD MAY FACE RATE RISK IF U.S. EXITS FROM QE

Atentamente,

DS

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Previsão do S&P 500 para 2013

Eis a minha previsão para o resto de 2013 com base nas performances cílclicas pluri-anuais. A correlação desta previsão com os fechos mensais de Janeiro de 2010 a Abril de 2013 é de 75%.
 
Para 2013, a previsão é para um fecho nos 1374 em Dezembro. No então, o método prevê já algumas quedas para este mês de Maio...
 
Eis o gráfico:
 
 

Actualização: o gráfico foi actualizado pois, depois de ir até 2005, encontrei uma correlação superior...

DS
 

terça-feira, 7 de maio de 2013

Warren Buffett modestamente bearish 4º trimestre

No 4ª trimestre de 2012, A Berkshire Hathaway continuou a reduzir a sua exposição accionista em termos de valor, embora muito menos do que no 3º trimestre.

Ou seja, enquanto que o valor da sua carteira accionistas aumentou por via do aumento das cotações das suas participadas, segundo o último formulário 13-F, a empresa vendeu mais do que comprou em montante.
Senão vejamos as maiores transacções realizadas no 4º trimestre de 2012:

- vendeu 29 milhões de acções da KRAFT FOODS INC, num montante estimado em 3 mil milhões de USD demonstrando claramente a sua falta de confiança na actual administração da empresa;
- vendeu 1 milhão de acções da LEE ENTERPRISES INC, num montante estimado em 15 milhões de USD;
- comprou 122 mil acções da LIBERTY MEDIA CORPORATION, num montante estimado em 14 milhões de USD;
- comprou 793 mil acções da WAL MART STORES INC, num montante estimado em 54 milhões de USD;
- comprou 1 milhão de acções da NATIONAL OILWELL VARCO INC, num montante estimado em 76 milhões de USD;
- comprou 598 mil acções da INTERNATIONAL BUSINESS MACHINES, num montante estimado em 114 milhões de USD;
- comprou 3.7 milhões acções da VERISIGN INC, num montante estimado em 143 milhões de USD;
- comprou 2,5 milhões de acções da WABCO HLDGS INC, num montante estimado em 161 milhões de USD;
- comprou 1,5 milhões de acções da PRECISION CASTPARTS CORP  COM, num montante estimado em 276 milhões de USD;
- comprou 6 milhões de acções da ARCHER DANIELS MIDLAND CO, num montante estimado em 162 milhões de USD;
- comprou 4,5 milhões de acções da DIRECTV, num montante estimado em 225 milhões de USD;
- comprou 10 milhões de acções da GENERAL MTRS CO, num montante estimado em 288 milhões de USD;
- comprou 3,4 milhões de acções da DAVITA INC, num montante estimado em 377 milhões de USD;
- comprou 17,3 milhões de acções da WELLS FARGO & CO, num montante estimado em 587 milhões de USD;
Ou seja, pelo fecho das cotações das respectivas acções em 31 de Dezembro de 2012, as vendas totalizaram 3.051 milhões de USD e as compras 2.478 milhões de USD, resultando num saldo negativo de 572 milhões de USD.

Ver também:

Warren Buffett bearish no 3º trimestre
Cumprimentos,

DS

domingo, 5 de maio de 2013

Uma república das bananas

Se alguém tinha dúvidas que Portugal é uma república das bananas, estas foram totalmente esclarecidas pela RTP.

A televisão que supostamente deveria prestar um serviço público decide convidar o responsável pela actual situação do país para comentar a actuação daqueles que tentam resolver essa situação e assim evitar a bancarrota em Portugal?

Mas não foi só a RTP a esclarecer essas dúvidas pois enquanto a RTP "fornece" o serviço, há milhares a consumido-lo. Pelo menos a RTP ganha alguma coisa com isso...

Atentamente,

DS

sábado, 4 de maio de 2013

Continua o emagrecimento do estado

Mesmo que isso não agrade aos funcionários públicos do tribunal constitucional, continua em marcha o irreversível emagrecimento do estado pois que não haja dúvidas: só existe uma alternativa, a bancarrota!

Eis as principais medidas anunciadas ontem pelo primeiro ministro:

- Rescisões poderão ser na ordem dos 30 mil funcionários;

- Reforma passa dos actuais 65 para os 66 anos;

- 40h semanais de trabalho já este ano, à semelhança do que já acontece no sector privado há anos;

- Mais contribuições para a ADSE, ADM e SAD vão aumentar em 0,75 pontos percentuais ainda em 2013, e em 0,25 pontos percentuais a partir de 2014;

- Pré-reforma nas Forças de Segurança passa para os 58 anos de idade;

- "Contribuição adicional" nas pensões (*);

- Revisão da tabela remuneratória única (*).

(*) - estas medidas ainda são para mim pouco claras.

Votos de um bom fim-de-semana,

DS

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Euro bom ou mau?

Tenho ouvido e lido muitas críticas à moeda única, principalmente da parte dos analistas e economistas anglo-saxónicos mas a realidade é que a crise não é exclusiva da zona euro pois lá para os lados da Grã-Bretanha as coisas também não correm lá muito bem: o Financial Times reporta hoje que o número de britânicos a recorrer às senhas de alimentação subiu 170% em 2012.

Isso para não falar no número recorde de Americanos na mesma situação, a recorrer aos chamados "food stamps"...

A culpa será do Euro?

Um bom fim-de-semana

DS

terça-feira, 23 de abril de 2013

História do FMI em Portugal

Esta é a 3ª vez que o Fundo Monetário Internacional (FMI) entra em Portugal, depois de intervenções em 1977 e 1983.

A 1ª vez que o FMI "aterrou na Portela", como ilustrou o cantor José Mário Branco numa das suas obras mais emblemáticas, justamente chamada "FMI", foi em 1977, quando Ramalho Eanes era Presidente da República e Mário Soares era primeiro-ministro do primeiro Governo Constitucional. Então, com uma taxa de desemprego superior a 7%, bens racionados, inflação crescente, conflitualidade política e o escudo desvalorizado, o FMI interveio pela primeira vez desde que Portugal aderiu à instituição, em 1960. Na bagagem trouxe "pacotes" que se traduziram em redução de salários e subida de impostos, entre outras medidas.

Em 1983, Mário Soares era novamente primeiro-ministro, desta vez à frente do governo do Bloco Central, com o PPD-PSD de Mota Pinto. Com o desemprego acima dos 11% e uma dívida externa galopante devido à subida das taxas de juro internacionais, o FMI emprestou 750 milhões de dólares e novamente impôs cortes nos salários da Função Pública, aumentos de preços, travão ao investimento público e cortes nos subsídios de Natal, entre outras medidas.

Em 2011, José Sócrates era primeiro-ministro num 2ª mandato, apesar de não ter uma maioria no parlamento.

Ou seja, em todas as ocasiões em que o FMI foi chamado a intervir em Portugal, com ou sem maioria absoluta, estava um governo socialista no poder. E ainda há quem acredite em coincidências...

Ver também:

FMI bate à porta de Portugal pela terceira vez desde 1977

DS

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Preços das casas continuam a cair em Portugal

Esta "notícia" já tem alguns dias mas não vi nos meios de comunicação nacionais nenhuma representação gráfica deste fenómeno pelo que decidi publicar o gráfico da evolução dos preços da habitação em Portugal desde o 1º trimestre de 2010:
 

Pessoalmente, conheço razoavelmente o mercado imobiliário português pois realizei 2 vendas, uma em 2006 e outra em 2011. Apesar de, em ambos os casos, não ter conseguido vender ao preço que eu considerava mais justo a decisão de vender foi acertada, como se pode ver pelo gráfico, pois estou agora em posição de comprar um imóvel a um preço inferior, se assim o entender.

A questão agora aqui é saber quando irá parar a sangria de preços. Na minha opinião isso não acontecerá enquanto a banca portuguesa não reconhecer DEVIDAMENTE as suas imparidades e se capitalizar devidamente.

DS

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Já rebentou!

Se bem se lembram, foram vários os avisos aqui no blog para o eminente rebentamento daquela que eu considero como sendo a última bolha por rebentar: a bolha das obrigações do tesouro. Foram vários os posts sobre este assunto:

A última bolha

Pois bem, depois do BOJ ter anunciado no passado dia 4 de Abril que quer inflação acima dos 2% o mais depressa possível e que fará tudo o que for preciso para conseguir atingir essa meta, o mercado já começou a fazer-lhes a vontade e a taxa das obrigações do "tesouro" japonês já subiram mais de 100% desde esse fatídico dia:
 

Votos de uma boa semana,

DS

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Mais uma divergência

Ontem à noite detectei mais uma divergência entre os dados do COT (Commitment Of Traders) e o S&P 500: enquanto que o S&P 500 vai subindo todo contente, o "smart money" vai aumentando progressivamente as suas posições curtas.

Logo à noite teremos mais dados do COT - actualizados até ao dia 9 de Abril - mas para já deixo-vos o gráfico com os dados até ao passado dia 2 de Abril:

 

 
Reparem que, apesar dos mercados só terem começado a recuperar em Março de 2009, este grupo já vinha diminuindo as suas posições curtas desde Janeiro...
 
Votos de um bom fim-de-semana,
 
DS

terça-feira, 9 de abril de 2013

JN com agenda política?

O JN tem hoje uma notícia cujo título é errado. O título da notícia diz "Função pública e pensionistas vão pagar mais IRS em Maio".

Ora, para começar, ninguém PAGA IRS em Maio nem em qualquer outro mês. Nem função pública nem sector privado. Ponto.

O que acontece todos os meses é uma RETENÇÃO na fonte, ou seja, uma estimativa que visa distribuir os pagamentos do IRS durante o ano. O acerto é feito nos meses de Março a Abril do ano seguinte aquando da entrega do modelo 3, o que está a decorrer agora.

Por isso o título da notícia deveria ter sido "Função pública e pensionistas vão RETER mais IRS em Maio" para que aqueles que se limitam a ler os títulos das notícias não fossem enganados.

É por estas e por outras que raramente leio o JN e prefiro o Diário Económico e o Expresso pois são mais rigorosos e não têm agenda política.

Ver também:

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3154540

Atentamente,

DS

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A nova constutuição

Aparentemente a constituição Portuguesa mudou e ninguém se apercebeu! Passo a explicar: o artigo 13º que invoca o princípio da igualdade redigia-se na seguinte forma:
 
"Artigo 13.º
(Princípio da igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou
isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem,
religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou
orientação sexual."
 
Mas, aparentemente, agora mudou para:
 
"Artigo 13.º
(Princípio da igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou
isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem,
religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou
orientação sexual.
3. A única excepção aos 2 artigos anteriores serão os funcionários públicos. Estes terão direito a regimes exclusivos de saúde e segurança social, respectivamente, a ADSE e CGA e não poderão vir a ser chamados para sacrifícios a fim de corrigir problemas que colegas seus criaram."

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Decisões do tribunal constitucional

Sem grandes surpresas, o tribunal constitucional decidiu proteger novamente os interesses instalados da função pública.

Os 2 artigos mais importantes que foram chumbados foram no sentido de manter um estado obeso:

1. Corte dos subsídios de férias e de natal aos funcionários públicos;

2. Suspensão dos subsídios de férias e de Natal aos pensionistas (*).

(*) - como é do conhecimento geral, os pensionistas mais bem pagos são os da caixa geral de aposentações, ou seja, ex-funcionários públicos...

Atentamente,

DS

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Regresso à realidade (II)?

Depois da conferência de imprensa de Draghi, os mercados Europeus começaram a anular os ganhos matinais, os quais estão agora completamente desfeitos:
 


Eis o resumo da conferência de imprensa (cortesia do Zerohedge.com pois eu não tenho pachorra para ouvi o sr. Mário Draghi durante 1 hora):
 
• * DRAGHI diz que fraqueza económica ESTENDE-SE PARA INÍCIO DO ANO
• * DRAGHI diz que os riscos para as perspectivas económicas SÃO PARA BAIXO
• * DRAGHI DIZ RECUPERAÇÃO NO 2º SEMESTRE ESTÁ SUJEITO A "RISCOS DE DETERIORAÇÃO"
• * DRAGHI: fraquezas têm vindo a alargarem-se aos países NÃO FRAGMENTADOS
• * DRAGHI diz que BCE vai avaliar os dados e está pronto a agir
 
Como disse o sábio Albert Einstein: "A realidade é meramente uma ilusão; uma ilusão muito persistente"

Ver também:

Regresso à realidade?
 
Cumprimentos,
 
DS

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Ben Bernanke: tudo isto é uma cleptocracia

Questionado sobre o efeito riqueza por um congressista, Ben Bernanke parte a loiça toda:

"O efeito riqueza. Ah, certo. Quer saber sobre o efeito riqueza. Bem, vou ser sincero consigo. Tudo isto é uma cleptocracia: o sistema financeiro, o sistema político é uma grande cleptocracia. É esse o real efeito riqueza".

Parecendo encontrar o equilíbrio, Bernanke continuou com uma paixão que surpreendeu o público. "Sabe, eu disse a mim mesmo para apenas repetir a linha do partido por mais um ano para que eu pudesse sair do cargo calmamente e deixar Yellen ou outro dos bajuladores assumir, mas eu percebi que não tenho mais estômago para estas mentiras, o ofuscamento e a pilhagem".
 
"Sim, eu tenho uma pequena posição alinhada no Goldman Sachs depois da minha aposentadoria. Sabe, dar alguns discursos e meter ao bolso um par de milhões de dólares, mas estou cansado todo esse dinheiro sujo". 


Inclinando-se para o microfone, Bernanke perguntou: "Você não está cansada da sujidade de todo o dinheiro que você ganha? Você não está cansada das mentiras que estamos vivendo?".

"Eu devo ser um especialista em economia. Então, eu vou te dizer como o sistema funciona em termos muito simples. Isto,
na verdade, não é diferente do Império Romano. O truque é chegar perto da sede do poder imperial, que no nosso país é o governo federal. Depois, suborna os influentes - há sempre muitos - para que eles lhe concedam privilégios especiais, subsídios, contratos ou um monopólio. Finalmente, você retira uma grande fortuna desta proximidade do poder político/financeiro e então você compra imobiliário para arrendar - sabe, milhares de casas de aluguer, terra, edifícios em Manhattan, obrigações municipais livres de impostos e assim por diante..."

"Foi assim que nós acabamos com os cartéis a mandar em tudo: defesa nacional, saúde, ensino superior e sector financeiro. Você - a nobreza eleita - permitem esta vasta
operação de pilhagem em nome da democracia e do capitalismo Mas todos sabemos que estas são fachadas. A democracia é uma fraude, a nível nacional, mas somos todos muito covardes para confessá-lo"
 
Depois de beber um gole de água, Bernanke diz, "Deixe-me contar um pequeno segredo sobre todas as nossas políticas baseadas em princípios keynesianos. Paul Krugman e eu colocamos máscaras de médicos curandeiros e dançamos ao redor de uma fogueira acenando galinhas mortas e entoando cantigas sem nexo. Isso é o keynesianismo . "


"Isto está irremediavelmente cheio de falhas e é um desastre, por uma razão simples: os keynesianos acham que todo o investimento é produtivo quando, na verdade, a maioria do investimento é improdutivo e acaba em perdas. Mas não é permitido reconhecer
essas perdas porque as pessoas próximas do poder iriam perder"
 

"Como resultado, tudo que fazemos e dizemos aqui em Washington e em Nova York, é uma paródia de uma paródia de uma farsa, um desfile interminável de mentiras e meias-verdades. O Presidente Bush, no seu modo caseiro próprio, disse a verdade quando disse: «Este otário está indo para baixo» Ele se referia à cleptocracia, a fraude todo que vivemos para enriquecer-nos e manter o poder. Já tive o bastante, senhoras e senhores, e esta é a minha última aparição pública como um funcionário da Reserva Federal

PS: dia das mentiras ;-)

quinta-feira, 28 de março de 2013

déjà vu (II)?

Ontem estive a optimizar o meu indicador macro-económico pois havia algumas coisas a afinar tais como:
  1. Todos os indicadores devem ter a mesma unidade de medida pois, caso contrário, o resultado nunca seria consistente;
  2. Como não uso indicadores ajustados à sazonalidade, algums indicadores apresentavam-se demasiado voláteis pelo que, nesses casos, optei por usar a média móvel de 3 períodos (normalmente meses);
  3. Finalmente, observei que alguns indicadores eram melhores do que outros a preverem recessões e que outros indicadores poderão ser melhores a preverem recuperações económicas. Por isso, daqui para a frente usarei diferentes indicadores nas diferentes fases do ciclo económico. Actualmente, considero apenas os indicadores que se revelam melhores a preverem recessões pois já estamos numa fase avançada da expansão económica.
Sendo assim, eis como teria sido a evolução do índice macro-económico avançado em 1999 comparado com o S&P500:


O mesmo para 2007:


E actualmente, Março 2013:


Votos de uma boa páscoa,

DS

Embustes?

Apenas quero deixar alguns comentários à entrevista do ex primeiro-ministro na RTP que, aparentemente mas não surpreendemente, terá tido muita audiência. 

Pessoalmente, apenas tive pachorra para ver uns 2 ou 3 minutos. Mas, depois de ler o resumo do Expresso, eis os meus comentários e sobretudo alguns factos:

Sobre a crise política:
O fim do governo de Sócrates começou no parlamento com o chumbo do PEC IV e, por isso, o Presidente da República não esteve na origem da actual solução política nem é o seu patrono. Ponto.

Sobre os problemas do país:
Há que reconhecer que na arte de arranjar bodes espiatórios para as suas borradas, Sócrates sempre foi um mestre! Certamente que a crise internacional não facilitou a vida ao governo do PS mas um líder e sobretudo um homem de estado nunca usaria esse desculpa para justificar o total falhanço que foi a sua governação. Ponto.

Sobre a ideia de que foi a sua governação que levou ao pedido de ajuda externa:
Então foi a governação de quem? A do Passos Coelho ou do Paulo Portas?? A minha ou da do meu vizinho do lado???

Sobre a ideia de que o actual Governo se limitou a aplicar o memorando que tinha sido negociado pelo Governo anterior:
É claro que não. O actual governo tem toda a legitimidade de ajusta o programa de acordo com as suas ideologias, boas ou más. E responderá por isso a seu tempo. Ponto.

Ver também:


DS

Chipre, precedente ou caso único?

Aparentemente a comunidade financeira ficou chocada com as recentes declarações do novo presidente do Eurogrupo, o senhor Jeroen Dijsselbloem, que disse "caso os bancos não consigam capitalizarem-se, o Eurogrupo dirigir-se-á então aos accionistas e credores e, se necessário, aos proprietários de depósitos não garantidos (mais de 100.000€)."

Pessoalmente, a única parte que me chocou foi a parte dos depósitos. É óbvio que os accionistas e credores devem ser responsabilizados mas isso é mais fácil de dizer do que fazer quando se deixa os problemas atingirem as proporções do caso cipriota...

Sinceramente é difícil de perceber se o caso de Chipre terá sido isolado ou se semelhantes virão mas se eu fosse depositante não garantido, por exemplo, em Malta estaria preocupado (gráfico da autoria de James Mackintosh do FT):


Ver também:

Bank assets as multiple GDP

DS

segunda-feira, 25 de março de 2013

Déjá vu?

Eis as reacções dos mercados pós-anúncio nos 3 casos anteriores, do mais antigo ao mais recente.

Maio de 2010, Grécia. Os mercados corrigem aproximadamente 16% em 2 meses:


Novembro de 2010, Irlanda. Os mercados sobem aproximadamente 14% em 2 meses:


Maio de 2011, Portugal. Os mercados corrigem aproximadamente 8% em 2 meses:


Março de 2012, Grécia. Inicialmente os mercados ficam indecisos mas acabam por corrigir aproximadamente 8% em 2 meses:


Março de 2013, Chipre. Qual será a reacção dos mercados a mais este resgate? A julgar pela história, a probabilidade de uma reacção negativa é de 75% (3 em 4). A probabilidade de uma reacção positiva é de apenas 25%. A ver vamos...


Cumprimentos,

DS