sexta-feira, 14 de novembro de 2008

COMO TER SUCESSO?

Escolhi falar sobre este tópico hoje porque permite a quem ainda não conseguiu ter muito sucesso nos mercados financeiros uma prolongada reflexão e eventual ajustamento da sua estratégia durante o fim-de-semana.

Já tinha abordado um pouco este tema em "SER ESPECULADOR" e irei hoje aprofundá-lo. Mas em vez de falar sobre o que não se deve fazer (como acontecia na maior parte dos artigos de diversos traders que tive oportunidade de ler), irei resumir o que se deve fazer: as estratégias, as atitudes, os pensamentos, as acções e outros factores que são, fundamentalmente, as causas do sucesso desta minoria - não mais de 5% pelas estatísticas - que ganha consistentemente nos mercados.

Assim, o especulador que se enquadra nesta minoria já não se emociona com ganhos de 100, 200 ou até 500% num só trade. Esse especulador não vai em euforias. A euforia aumentaria a sua auto-confiança e, consequentemente, a probabilidade de errar. Para ele é "business as usual"...

Por falar em probabilidades, ele negoceia sempre com esta variável a seu favor: nunca entra num trade em que a probabilidade de falhar é superior a 20%. E como determina ele isso? Vou exemplificar. As Rising Wedges (cunhas ascendentes), por exemplo, são dos padrões que mais falham o seu objectivo (início ou ponto mais baixo da cunha): entre 15 a 20% falham-no. Quer isso dizer que a cunha ascendente é um padrão a evitar a todo custo? Não mas o especulador terá que ter mais argumentos técnicos para negociar estas cunhas: deverá existir outro padrão técnico num time frame superior a suportar essa cunha ascendente. Já se for um Head & Shoulder, tendo em conta a baixa probabilidade de falha deste (2%), o especulador poderá entrar num trade apenas com base nesse padrão, desde que o tenha bem estudado.

Para além disso, o especulador sabe que vai errar num futuro não muito distante e que, por isso, não pode alocar mais de 30% por tipo de activo. Não pode, por exemplo, ter 20% do capital em opções de compra do EUR/USD e mais 20% de opções de compra do Ouro: estes 2 activos estão fortemente correlacionados e, por isso, esse trade representaria uma alocação de capital de 40%. Só em casos muito excepcionais é que esses 30% podem ser ultrapassados. Por exemplo, quando estão todos os participantes do mesmo lado tal como aconteceu no 2º trimestre deste ano com as commodities e as moedas. Para além de tudo isso, o money management deve ser mais agressivo nos trades a favor da tendência e mais defensivo nos que são contra esta. Em futuros e opções, o trade também deve ser capaz de resistir a perdas iniciais até 30%.

Ter um plano de trading também é obrigatório. Esse plano deve identificar inequivocamente o padrão que se está a negociar, os possíveis preços de entrada e saída do trade e respectivas probabilidades destes. Deve-se obviamente alocar a maior fatia do capital nos preços mais prováveis.

Por fim, um constante acompanhamento e conhecimento da actual envolvente macro-económica e política é essencial. A envolvente macro-económica só se sabe percebendo na íntegra os diversos ciclos económicos: o Super Ciclo, o Grande Ciclo e o Ciclo.

Resumindo, eis (por ordem decrescente) o que considero mais importante para o especulador ter sucesso:


* Ser frio - sem emoções, sentimentos ou feelings - durante todo o processo;
* Negociar só e só se a probabilidade de falha for inferior a 20%;
* Expor na maior parte dos casos até 30% do capital por tipo de activo;
* Ter um plano de trading bem definido;
* Acompanhamento e conhecimento do momento macro-económico e político.


Finalmente e por falar em sucesso, George Soros disse ontem perante a Comissão de Avaliação e Reforma Governamental da Câmara dos Representantes Americana que a recessão é já inevitável e que não se pode descartar a possibilidade de uma longa depressão. Também afirmou que não se deve impor "regulamentações equívocas".

Sobre a possibilidade de longa depressão, estou certo que teremos uma Grande Depressão este século mas estou certo que não será para já, com este crise. Discordo por isso de George Soros e acredito que não é provável que isso aconteça: os governos dos países desenvolvidos (G7) e em desenvolvimento (G30) estão em condições de reagir a esta crise e estão a fazê-lo de uma forma global e concertada, pondo assim um travão ou, pelo menos, definindo um fundo para esta crise.

Um bom fim-de-semana,

Dax Speculator