quarta-feira, 13 de março de 2013

Soluções para a crise?

Ultimamente tenho ouvido vários militantes do PS a anunciar diversas "soluções" para esta crise em Portugal. São elas, sem qualquer tipo de ordem:

  1.  Aumentar o salário mínimo;
  2. Relançar a economia estimulando o consumo interno;
  3. Reestructurar a dívida.


Agora irei opinar sobre estas 3 "soluções":

A 1ª revela uma total ignorância sobre a forma como funciona o mercado de trabalho: o mercado de trabalho também está sujeito à lei da oferta e da procura como está todo e qualquer mercado. Por isso, aumentar artificialmente (por decreto-lei) o preço mínimo da procura só iria piorar a situação e fracturar ainda mais este mercado. É que se as empresas já estão a despedir por causa das quebras do volume de negócios ou mesmo dificuldades financeiras, aumentar o preço mínimo da procura é aumentar as razões para despedir. No entanto não quero ser mal interpretado. Conheço bem as difículdades de quem ganha apenas 485€ por mês e tem de contar os trocos no fim do mês. O problema e a solução não passa pelo salário mínimo mas sim pelo aumento da produtividade que, se for bem sucedido, abrirá as portas a aumentos salariais. Infelizmente, olhando para o estado da educação nacional, temo que isso nunca irá acontecer...

Se não for ignorância então é pura demagogia o que ainda é pior pois trata-se de um aproveitamento da iliteracia económica da maioria da população.

A 2ª ainda é mais fácil de avaliar: aumentar-se o consumo interno será sempre com recurso a ainda mais dívida pois é isso que acontece num país que importa mais do que exporta e não é sequer capaz de ser auto-suficiente no sector agrícola. Alias foi essa "solução" que nos trouxe até aqui....

Já sobre a 3ª é só ir ver à Grécia o resultado...

Atentamente,

DS