terça-feira, 27 de maio de 2008

DADOS E PETROLEO

Hoje vamos abordar os já habituais destaques aos dados macro-económicos divulgados esta semana nos EUA e na Alemanha e fazer alguns comentários sobre o actual momento que se vive no petróleo - a matéria-prima mais importante para a economia e, por isso também, o maior mercado em termos de matérias-primas.

Esta semana teremos então como principais indicadores macro, os seguintes:

  • Dia 27 de Maio às 07H00 e 13H30 são divulgados, respectivamente, o PIB Alemão do 1º trimestre (são esperados 1.5% (*) relativamente ao mesmo trimestre e 2.6% em termos anuais) e a Confiança do Consumidor Americano relativa ao mês de Maio (61 é o valor esperado);
  • Dia 28 de Maio às 13H30, sai as Encomendas de Bens Duradouros (Durable Orders) nos EUA, estando previsto mais uma queda entre -1.1% e -0.7% (Este é um indicador muito importante pois é um líder, tendo sido o 1º a dar sinais de problemas na economia com quedas violentas, já em 2006);
  • Dia 29 de Maio às 13H30, são conhecidos o deflator do PIB Americano (Chain Deflator), o PIB Americano e os novos pedidos de subsídio de desemprego nos EUA (são esperados, respectivamente, 2.6% para o deflator, 0.9 a 1% para o PIB e 370,000 para os novos pedidos de subs. de desemprego);
  • Finalmente, dia 29 de Maio às 15H30, sabe-se qual foi a variação semanal nas reservas petrolíferas Americanas.

Sobre o actual momento que se vive no petroleo e numa altura em que os media nos têm bombardeado diariamente com cada dólar a mais de subida intradiária, vamos analisar os factores que mais influenciaram estas subidas:

  1. Recente aumento da procura mundial, em grande parte atribuido às economias emergentes por serem energicamente ineficientes;
  2. Aparecimento em cena de novos especuladores institucionais, em representação de fundos de pensões e fundos estatais/soberanos (Sovereign Wealth Funds), que apostaram nos últimos 4 anos somas avultadas - que passaram nos últimos 5 anos de 13 mil milhões de dólares para qualquer coisa como 260 mil milhões de dólares, um aumento de 2000% - comprando diversos contratos de futuros ligados a variadas matérias-primas;
  3. Estagnação da oferta mundial de crude devido a um longo período de preços baixos na década de 90 - altura em que os preços oscilavam entre os 10 e 30 dólares;
  4. Finalmente, o surgimento de dezenas de novos produtos financeiros de estratégia long-only tais como fundos de índices de matérias-primas, ETFs e fundos especiais de investimento que permitiram aos investidores individuais terem uma exposição às matérias-primas.

Dax Speculator acredita terem sido estes os principais factores que, juntos, contribuíram para esta escalada de preços do petróleo e de outras matérias-primas. No entanto, quero chamar atenção para o 2º factor que penso ter sido aquele que mais contribuiu para a rapidez das subidas e que será também, na minha humilde opinião, aquele que mais influenciará a volatilidade de eventuais (**) correcções: a velocidade e a proporção em que serão fechados os actuais 260 mil milhões de dólares investidos em contratos de futuros determinará o tipo de descida, se calma e ordeira ou se violenta e desordeira.


(*) - à hora em que escrevo, o PIB Alemão relativo ao 1º trimestre já foi divulgado e saiu nos 1.5%, tal como esperado.

(**) - Dax Speculator estima que a probabilidade dessas correcções são actualmente muito elevadas e que estas estão muito próximas de acontecer mas prefere falar ainda em eventualidade.

Bons negócios,

Dax Speculator