terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Caro Sr. Primeiro Ministro

Caro Sr. Primeiro Ministro,
Sem rodeios, quero transmitir-lhe a minha profunda preocupação pelos sucessivos erros de governação que tem cometido.

Com que então espera conseguir um aumento da receita com este brutal aumento de impostos? Fique desde já sabendo que isso nunca irá acontecer pois, como perguntava Abraham Lincoln,

"Quantas pernas tem um cão se chamar ao rabo perna"?  
"Quatro, porque chamar ao rabo perna não a torna uma perna."

Assim, não será certamente a aumentar indefinidamente os impostos que irá conseguir reduzir o défice e principalmente a dívida. E porquê, perguntará? Simplesmente porque, tal como já foi referido por diversas personalidades nacionais, a economia não aguenta mais e os impostos que irá arrecadar a mais no IRS com estas últimas "medidas", arrecadará a menos no IVA, IA (Imposto Automóvel), nos diversos impostos especiais e no IRC.

Perguntará talvez e novamente porquê? Não há nada mais simples: os Portugueses terão menos rendimento disponível e, por isso, irão consumir bastante menos, o que afectará directamente o IVA, IA e os diversos impostos especiais e indirectamente o IRC pois as empresas dependentes do consumo interno registarão menos vendas e consequentemente menos lucros. Isto tudo para não falar nos efeitos nefastos na já inexistente confiança...

Assim a minha 1ª carta ao Sr. Primeiro Ministro poderá ter sido um erro meu pois não encontro agora tantos motivos para felicitá-lo. Deus queira que eu esteja errado - há alturas em que desejo muito estar errado - pois isso seria bom para Portugal...

Ver também:

Carta ao Sr. Primeiro Ministro 
Cumprimentos,
DS