sexta-feira, 30 de abril de 2010

Os cancros da economia

Numa troca de comentários recente acabei por identificar diversos cancros que estão, por diversos motivos, a destruir a economia real em prol de outros interesses particulares/corporativos.

São estes cancros os seguintes:
  1. Os partidos políticos;
  2. Os bancos centrais;
  3. Os bancos de investimento.
Eis como estes cancros interagem uns com os outros, por exemplo, nos EUA: os partidos políticos cumprem uma agenda criteriosa de interesses particulares ("jobs for the boys") e das corporações que os financiam. Os governos têm como braços direitos os bancos centrais que, no fim dos ciclos económicos (que correspondem normalmente a recessões) e sempre que os governos precisam, imprimem dinheiro à farta pois, caso contrário o seus presidentes (Bernanke & Cia) sabem que não serão reconduzidos. Por sua vez os bancos de investimento conseguem, através dos seus altos contactos políticos, uma vantagem competitiva avassaladora sobre o resto da indústria financeira (os programas de negociação em alta frequência são um claro exemplo disso) e os políticos conseguem financiamentos e tachos chorudos sempre que precisam.

Só que tudo tem o seu tempo e, em 2008, os mercados começaram a duvidar que a economia aguente viver com tantos cancros pelo que das duas uma:
  1. Ou se mata pelo menos um dos cancros;
  2. Ou a economia morre e com ela morrem todos os cancros.
Aquilo que a SEC (Security Exchange Comission) está a tentar fazer com a acção contra o Goldman será matar um dos cancros. Resta saber se o irá conseguir...

Faites vos jeux,

Dax Speculator