quarta-feira, 10 de março de 2010

Recuperação?

Para se conseguir medir a força da recuperação económica, nada melhor do que analisar o volume trimestral de encomendas de uma empresa nacional que exporta 90% do que produz (bens duradouros) e que, por isso, não está de todo dependente da débil economia nacional.

O gráfico que se segue mostra os montante trimestrais totais (em Euros) das encomendas desde o 4º trimestre de 2001 até ao 4º trimestre de 2009 e a respectiva média móvel de 3 trimestres (M3):




A M3 atenua os exageros, diminuindo assim a margem de erro deste tipo de análise e é com base nesta que irei analisar a actual conjuntura macro-económica. Como se pode ver no gráfico acima, do 4º trimestre de 2001 até ao 4º trimestre de 2009, temos 3 tendências bem definidas:

  • Do 3º trimestre de 2002 até ao 4º trimestre de 2004 a tendência da M3 foi de descida ligeira;
  • Do 4º trimestre de 2004 até ao 1º trimestre de 2009 a tendência da M3 foi de subida, mais acentuada nos últimos trimestres devido a valores excepcionais no 4º trimestre de 2008 e 1º trimestre de 2009;
  • Finalmente, desde o 1º trimestre de 2009 que a tendência da M3 tem vindo a descer, não dando para já sinais de querer inverter.
Ou seja, para já, esta empresa exportadora não vislumbra qualquer tipo de recuperação pois ainda no 3º trimestre de 2009 foi quebrado o mínimo do 3º trimestre de 2006, estando este mínimo apenas acima do mínimo do 4º trimestre de 2001.

Cumprimentos,

Dax Speculator