quarta-feira, 12 de maio de 2010

Bill Gross a meter a colherada

Bill Gross publicou recentemente mais um excelente "Investment Outlook" no qual ridiculariza os fundos de investimento quantitativos e as agências de "rating". Aconselho qualquer investidor e especulador a ler este raro material, do qual destaco:

"...Eu escrevi sobre este assunto antes - um «Investment Outlook», em Novembro de 2008, falou da necessidade de um QC - Quociente de senso Comum - além de um QI para ter sucesso ao investir. De facto, se um chef alguma vez inventar uma receita de investimento gourmet, ele provavelmente misturaria uma colher de chá de inteligência com uma colher de sopa de senso comum." 

"...os preços são uma combinação delicada do valor numérico e de natureza humana - algo que os estudiosos e profissionais quantitativos, na busca dos mercados «eficientes», rejeitaram sob pena de eventual ruína. E a natureza humana, ao que parece, não pode ser tão facilmente modelada nem inteligentemente adivinhada. Alimenta-se frequentemente de si própria, levando a períodos acentuados de «ganância» e «medo» que tendem a ser rotulado de «bolhas» ou «cisnes negros», respectivamente. É durante estes períodos que uma colher de senso comum é a única receita para o sucesso do investimento."

"...mais recentemente, a sua [das agências de ratings] fé cega na solvência de países soberanos levou a flagrantes excessos na Grécia e nos seus vizinhos do sul. O resultado tem sido impingir uma classificação AAA ao desavisado (e ignorante) público que comprou o serviço de avaliação «Kool-Aid» segundo o qual os preços da habitação nunca poderiam ir para baixo ou que os países nunca iriam à falência. Os seus modelos quantitativos pareciam ter um gigantesco QI de pelo menos 160, mas o seu senso comum estava mais perto dos 60."

"...Mas eu não quero enterrar os serviços de classificação, mas apenas para rejeitá-los. ... No entanto, estes serviços, apesar de necessários ao actual regime de permanente de regulação financeira, são demasiado caros e sujeitos à influência do emitente, o que confunde as mentes e os julgamentos dos seus autores, para dizer o mínimo."

"...Ainda assim, à medida que os futuros emissores de dívida encostam as suas barrigas ao bar com seus selos de aprovação das agências de classificações, é natural que o possível público comprador trate essas identificações com um cepticismo saudável."

Este último "Investment Outlook" pode ser lido na íntegra aqui.

Cumprimentos,

Dax Speculator