sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sub Mário

Hoje Super Mário desiludiu todos aqueles que pensavam que ele iria fazer "tudo o que fosse necessário" para salvar o Euro.

Mas então porque será que os mercados subiram ontem? Simplesmente para facilitar a distribuição (venda de acções) e o fecho de posições longas nos derivados. É assim que interpreto o dia de ontem e as próximas semanas dirão se a minha leitura está correcta ou não...

Mário Draghi desiludiu por ter prometido algo que nunca poderia cumprir pois os países desenvolvidos não iriam deixar "ao acaso" uma instituição tão importante como o BCE: a sua comissão executiva é actualmente constituida por 5 governadores dos quais 1 Alemão (Jörg Asmussen), 1 Francês (Benoît Cœuré), 1 Italiano (Mário Draghi), 1 Belga (Peter Praet) e 1 Português (Vítor Constâncio). Como normalmente são 6 membros, há mais 1 lugar que tudo indica será ocupado pelo Luxemburguês Yves Mersch.

Para além da comissão executiva, a política monetária é também decidida pelos governadores dos bancos centrais dos 17 países da zona Euro. Alias, o governador do banco central Francês tem mantido o "low profile" mas o governador Alemão (Jens Weidmann) tem deixado bem claro que no que depender dele - e depende muito visto representar a maior economia do Euro - não se fará "tudo o que for preciso". Ultimamente também os governadores da Finlândia (Ardo Hansson), Austria (Ewald Nowotny), Holanda (Klaas Knot) e Bélgica (Luc Coene) têm demonstrado fortes dúvidas sobre a eficácia de "basukas" em política monetária....

São portanto 23 governadores que tomam decisões e, por isso, Draghi tem de conseguir o seu apoio antes de mandar bitaites, algo que não parece ter acontecido este verão...

Cumprimentos,

DS